Os gastos diretos do governo Bolsonaro com redes sociais

Veja como o governo federal distribuiu mais de R$11 milhões a Meta, Google, Twitter e TikTok nos últimos 4 anos

Essa reportagem faz parte do nosso programa AMPLIFICA! Use a hashtag #redesnogovbolsonaro no Twitter e participe da conversa. Caso não faça parte, junte-se a nós via este formulário.
Bolsonaro sempre valorizou as redes sociais.

Em 2018, sua campanha à presidência tinha pouquíssimo tempo no horário eleitoral gratuito de TV, e o então candidato concentrou boa parte de sua estratégia de divulgação em mídia espontânea (entrevistas, cobertura da imprensa, etc) e, claro, nas redes sociais.

Após 4 anos à frente do Executivo, mais de R$11,5 milhões foram gastos diretamente com redes sociais pela administração de Bolsonaro.

Esse montante não representa o total dos investimentos do governo no segmento – os gastos indiretos, aqueles empenhados por agências terceirizadas, não estão no Portal da Transparência – mas são um termômetro de como recursos públicos foram utilizados para impulsionar conteúdo pelo governo federal.

Os maiores gastos aconteceram no primeiro ano da pandemia de Covid-19, quando o governo foi pesadamente criticado pela forma como lidou com a crise e em meio a um quase colapso do governo, com saídas turbulentas de ministros, como as de Henrique Mandetta (Saúde) e Sergio Moro (Justiça).

Gráfico Interativo

Mais de 40% (cerca de R$5 milhões) foram desembolsados em 2020, de acordo com dados analisados pelo Núcleo e ajustados pelo IPCA.

O segundo ano com maior dispêndio foi 2022. Embora o governo precise fazer divulgação de programas federais e políticas públicas, em ano eleitoral é muito fácil misturar os feitos do governo com campanhas políticas – a campanha de Bolsonaro, com recursos próprios e do Partido Liberal, gastou R$33 milhões com impulsionamento de conteúdo durante o período eleitoral.

Entre 2019 e 2022, a Meta, cuja entidade jurídica no Brasil ainda se chama Facebook, abocanhou 42% dos recursos gastos (também cerca de R$5 milhões) – lembrando que, além da rede social homônima, há ainda o Instagram.

Google, com R$3,4 milhões, ficou em segundo lugar (incluindo YouTube). Twitter, em terceiro, ficou quase empatado e a ByteDace, dona do TikTok, levou apenas uma fração dos recursos.

O Ministério da Saúde liderou os gastos (R$3,6 milhões) no período, seguido da Presidência da República (R$3,2 milhões).

Em terceiro aparece o Ministério das Comunicações (R$2,2 milhões), que em meados de 2020 passou a ser responsável pela Secretaria Especial de Comunicação Social, que faz campanhas de publicidade para o governo e antes ficava sob a Presidência.

Explore os dados

Gráfico Interativo

COMO FIZEMOS

Os dados foram coletados do Portal da Transparência a partir do CNPJ principal das três redes sociais. Veja aqui o código utilizado para extrair os dados da API do portal e analisar as informações.

Foram encontradas 1.821 gastos a partir desses dados. Os valores foram reajustados pela inflação utilizando o IPCA de out.2022. Em reportagem similar em 2021 nós não reajustamos pela inflação para que os dados refletissem exatamente os que constam no Portal, mas agora entendemos que é a melhor abordagem.

Os valores consideram somente gastos diretos da administração pública com essas redes, não considerando gastos via terceiros em nome do governo, como agências de comunicação e de publicidade contratadas por órgãos públicos.

Vale notar que o Google é dono do YouTube, maior rede de vídeos do mundo, mas também oferece serviços de tecnologia, como servidores e ferramentas online. É notório, no entanto, que a maioria dos gastos do governo com o Google tenha sido sob rubricas de comunicacão e de divulgação.

Meta inclui Facebook, Instagram e WhatsApp.

Os gráficos foram feitos com a ferramenta Flourish.

Texto, análise e gráficos Sérgio Spagnuolo
Arte Rodolfo Almeida
Edição Samira Menezes

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca