Spotify adota discurso Zuckerberguiano em resposta a protestos de artistas

Joni Mitchell e Brené Brown se juntaram a Neil Young no boicote ao Spotify por dar guarida a podcaster antivacina.

A cantora Joni Mitchell e a escritora e podcaster Brené Brown se juntaram a Neil Young no protesto contra o Spotify por hospedar e promover o podcast negacionista Joe Rogan Experience. Joni removeu seu acervo musical e Brené, que tem dois podcasts exclusivos no Spotify, disse que não publicará novos episódios por tempo indeterminado.

A coisa foi ficando mais séria: James Blunt ameaçou lançar novas músicas na plataforma caso o Spotify não rompa com Joe. (Pra quem não entendeu, ele é o ser humano que canta essa "música". O som dele pode ser ruim, mas o cara parece ser do time zoeira.)

A escalada obrigou o Spotify a se manifestar. No domingo (30.jan), o fundador e CEO Daniel Ek publicou um comunicado explicando como a plataforma lida com podcasts que debatem a covid-19. O texto não menciona Joe Rogan, que fechou um contrato de ~US$ 100 milhões com o Spotify para tornar seu podcast, à época o mais popular do mundo, exclusivo da plataforma.

O comunicado de Daniel poderia ter sido escrito por Mark Zuckerberg, aquele que certa vez disse que não via problema se o Facebook hospedasse discurso antissemita. Daniel:

Pessoalmente, há muitos indivíduos e pontos de vista no Spotify de que eu discordo fortemente. Sabemos que temos um papel crítico a desempenhar no apoio à expressão do criador, equilibrando-o com a segurança dos nossos usuários. Nesse papel, é importante para mim que não assumamos a posição de censor de conteúdo, ao mesmo tempo em que nos certificamos de que existem regras em vigor e consequências para aqueles que as violam.

Daniel aproveitou a oportunidade para dizer que o Spotify aplicará selos e links para hubs de informação sobre a covid-19 e publicar as regras de comunidade do Spotify, que, segundo ele, já estavam em vigor há anos, só não eram públicas.

Incentivar os ouvintes a não se vacinarem contra a covid-19, como Joe Rogan fez em seu podcast, aparentemente não infringe as regras do Spotify.

No Instagram, Joe Rogan postou um vídeo de 10 minutos fazendo um mea culpa, dizendo que a natureza do seu podcast, conversacional, dá margem para que ele fale coisas controversas. “Gostaria de agradecer o Spotify por todo o apoio nesse período e que lamento muito que isso esteja acontecendo com eles e que estejam absorvendo tanto disso.”

Via Wall Street Journal, @BreneBrown/Twitter (ambos em inglês).
Via Spotify, @joerogan/Instagram (ambos em inglês).
Via @JamesBlunt/Twitter (em inglês).



Faça parte da conversa

Reações de apoiadores
carregando reações...

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca