TikTok amplia proibições a conteúdos nocivos e inicia testes de classificação etária para vídeos

Comportamentos já proibidos agora são especificados nas diretrizes de conteúdo da plataforma.

O TikTok ampliou suas diretrizes de conteúdo na tentativa de mitigar comportamentos nocivos na plataforma. Em comunicado à imprensa, o aplicativo explicou as alterações:

  • Fortalecimento da política de atos e desafios perigosos a fim de impedir que esses conteúdos, como boatos de suicídio, tenham espaço no app;
  • Ampliação da abordagem aos transtornos alimentares, que agora compreende a remoção de conteúdos que promovam a alimentação de forma transtornada;
  • Proibição explícita de “ideologias odiosas”, como deadnaming (chamar uma pessoa transgênero pelo nome de nascimento), misgendering (identificar incorretamente o gênero de alguém) e misoginia.

O TikTok também anunciou a abertura de centros de monitoramento de incidentes cibernéticos e resposta investigativa de última geração em Washington DC (EUA), Dublin (Irlanda) e Cingapura.

Em outra frente, o TikTok começou a testar um sistema de classificação etária para conteúdo, similar àquele que vários países empregam na veiculação de filmes e video games, com o intuito de impedir que conteúdos adultos cheguem aos adolescentes da plataforma. Por ora, a classificação fica a cargo dos criadores de vídeos.

Via TikTok, LABS News.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca