A dois meses do 1º turno, Meta passa a prioibir anúncios questionando legitimidade da eleição

Atualização na política vem na esteira de reportagens que identificaram anúncios sobre fraude eleitoral sendo veiculados

A menos de dois meses para o primeiro turno das eleições, no começo de outubro, a Meta passou a proibir anúncios que questionem a legitimidade do pleito de outubro, segundo comunicado publicado pela empresa nesta terça-feira (16.ago.2022).

Nas últimas semanas, saíram pelo menos duas reportagens, do jornal O Globo e da agência Associated Press, mostrando como, apesar da política de combate à desinformação eleitoral, brechas no sistema da Meta permitiram que anúncios contendo alegações falsas sobre a urna fossem veiculados.

A política implementada nesta terça-feira no Brasil foi aplicada em outubro de 2020 nos Estados Unidos para as eleições presidenciais que ocorreram em novembro daquele ano.

Texto Laís Martins
Edição Sérgio Spagnuolo

Faça parte da conversa

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca