Meta e Google fazem vista grossa para desinformação eleitoral, diz organização

Relatório da SumOfUs mostra que, apesar de discurso sobre prioridade, plataformas de Meta e Google estão sendo usadas para minar processo eleitoral

No discurso de Meta e Google, moderar conteúdo eleitoral é prioridade. Mas uma nova pesquisa da organização sem fins lucrativos SumOfUs identificou que Facebook, YouTube e outras plataformas estão sendo empregadas por grupos da extrema-direita brasileira para disseminar teorias da conspiração e impulsionar dúvidas sobre a integridade do processo eleitoral brasileiro.

RELATÓRIO. Publicado nesta quarta-feira (28.set.2022), "Pare o Roubo Parte 2: Como YouTube e Meta estão desmontando a democracia brasileira" é o segundo relatório elaborado pela SumOfUs que alerta sobre o papel das redes sociais na difusão de discursos antidemocráticos.

Entre 10.set e 16.set.2022, pesquisadores analisaram milhares de publicações nas redes sociais. Em setembro, a organização já havia lançado o "Pare o roubo 2.0: Como a Meta está subvertendo a democracia brasileira".

O Intercept Brasil também publicou uma nota sobre o relatório desta quarta-feira.

PRINCIPAIS PONTOS. Os principais pontos do relatório:

  • A Meta aprovou e deixou rodar dezenas de anúncios que colocam em dúvida a integridade do processo eleitoral, espalham desinformação sobre as urnas eletrônicas e sobre a contagem de votos, e que defendem um golpe de cunho militar;
  • Vídeos promovendo a versão brasileira de Stop the Steal ("pare o roubo") registraram altos níveis de engajamento: apenas 10 vídeos de Youtube marcaram 22 milhõesde visualizações e 2,3 milhõesde interações no Facebook;
  • Evidências que apontam que o YouTube continua faturando e lucrando com canais que propagam desinformação – mesmo que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tenha ordenado às plataformas suspenderem pagamentos para disseminadores de desinformação sobre o processo eleitoral.

ANÚNCIOS. Pesquisadores fizeram uma busca modesta na Biblioteca de Anúncios da Meta usando apenas 7 termos [Urna eletrônica, STF, Urnas eletrônicas, Alexandre de Moraes, Fachin, Pesquisa eleitoral, TSE] para um período de 7 dias. Encontraram 56anúncios c0m desinformação eleitoral que acumulavam, juntos, quase 3 milhõesde impressões.

ORIGEM. Pesquisadores usaram o CrowdTangle para analisar o caminho percorrido por 10 vídeos do tipo "Stop The Steal".

A descoberta foi que os impactos desse tipo de conteúdo não se limitam ao Youtube. Pelo contrário, o Youtube é a nascente – ali esse tipo de conteúdo é criado e monetizado e depois distribuído pelo Facebook, Instagram e Twitter, atingindo milhões de usuários.

9 destes 10 vídeos eram de canais verificados pelo Youtube.

RECOMENDAÇÕES

A hora de agir é agora, alerta a SumOfUs, reiterando o pedido para que as plataformas implementem as recomendações feitas pelas mais de 90 organizações da sociedade civil, incluindo a própria SumOfUs, em relatório publicado em 16.set.2022.

A organização reiterou as seguintes recomendações:

  • fortalecer o sistema de moderação de conteúdo, o que passa pela contratação de mais moderadores com entendimento suficiente do contexto político local em condições de trabalhos decentes e remuneração justa;
  • melhorar o processo de verificação de anúncios de maneira a filtrar mais efetivamente contas que estão publicando conteúdo que mina a integridade eleitoral;
  • avaliar, mitigar e publicizar os riscos que suas plataformas representam aos direitos humanos nos países onde operam;
  • publicizar detalhes dos passos adotados em cada país e cada língua para garantir integridade eleitoral;
  • aumentar transparência ao listar detalhes completos de todos anúncios na Biblioteca de Anúncios da Meta, como público-alvo, público atingido, gastos com anúncios e pagador do anúncio;
  • permitir que auditores independentes verifiquem se a empresa está fazendo o que diz estar fazendo;
  • publicizar a avaliação de riscos pré-eleições para o Brasil.
Texto Laís Martins
Edição Sérgio Spagnuolo

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca