Twitter falhou em detectar vídeos de atentado na Nova Zelândia

Plataforma só removeu clipes depois de ser alertada pelo governo neozelandês e usuários

Os sistemas de detecção do Twitter falharam em reconhecer como conteúdo danoso clipes de vídeo que circularam recentemente na plataforma contendo trechos de um ataque supremacista branco em Christchurch, na Nova Zelândia, em 2019.

Os clipes circularam no sábado (26.nov.2022).

ALERTA. Segundo o jornal The Guardian, a plataforma só removeu o vídeo depois de ser alertada pelo governo neozelandês.

Usuários que viram o conteúdo também fizeram denúncias à rede social.

COALIZÃO. Na época, o massacre foi transmitido ao vivo em diversas redes sociais.

O governo neozelandês, na figura da primeira-ministra Jacinda Ardern, liderou a iniciativa Christchurch Call, uma coalizão de governos, empresas e entidades da sociedade civil que pedem pelo fim do extremismo e conteúdo violento online. O Twitter integra esse grupo e a iniciativa teve apoio do fundador da rede social, Jack Dorsey.

À premiê Jacinda Arden, o Twitter disse que não mudou de ideia sobre sua participação na iniciativa Christchurch Call, segundo noticiado pelo Guardian.

Texto Laís Martins
Edição Sérgio Spagnuolo

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca