Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

A Microsoft anunciou, nesta quinta (16.mar), uma ampla integração do GPT-4 a produtos do antigo Office, hoje Microsoft 365.

O QUE HOUVE? Chamado Copilot, o assistente se insere nos principais aplicativos da empresa — Excel, Outlook, PowerPoint e Word — para auxiliar o usuário.

No Word, por exemplo, o Copilot é capaz de gerar relatórios, resumir textos e copiar a formatação e criar índices e seções de perguntas e respostas.

Um diferencial do Copilot, segundo a Microsoft, é que ele combina o poder do GPT-4 com os aplicativos do Microsoft 365 e dados de negócios do usuário.

Na prática, isso significa que o Copilot consegue trabalhar com dados de arquivos do usuário, como textos, planilhas eletrônicas e apresentações de slides.

O Copilot também atua no Teams, resumindo videochamadas e respondendo dúvidas do usuário acerca delas.

O QUE MAIS? O Copilot tem ainda outra faceta, o Business Chat, um chatbot capaz de responder perguntas e executar ações baseadas no contexto profissional do usuário.

No exemplo dado pela Microsoft, o Business Chat atende a uma pergunta bem complexa: “Diga à minha equipe como atualizamos a estratégia de produto.” Para isso, o chatbot vasculha compromissos, e-mails, conversas, documentos, reuniões e contatos.

Todo conteúdo gerado artificialmente pode ser alterado e precisa de uma confirmação para ser aceito ou antes de ser enviado a um terceiro.

QUANDO? ONDE? Por ora, o Microsoft 365 Copilot está sendo testado “com um pequeno grupo de clientes para receber feedback e melhorar nossos modelos na medida em que os escalamos”, diz a Microsoft.

A empresa não deu um prazo para a liberação geral do Copilot.

Via Microsoft (em inglês).

Post feito em parceria com o Manual do Usuário

Inteligência ArtificalMicrosoftManual do Usuário
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.