Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

O presidente do TikTok, Shou Zi Chew, prestou depoimento ao Congresso dos Estados Unidos nesta quinta-feira (23.mar.2023), em meio a um acirramento das preocupações no país sobre possível influência e abuso pelo governo chinês no funcionamento do aplicativo de vídeos curtos.

O depoimento de Chew no Comitê de Comércio e Energia da Câmara foi marcado para 11h (horário de Brasília), mas o texto preparado pelo executivo já foi publicado. Depois de seu depoimento, ele responderá perguntas de membros do Comitê.

O Núcleo destrinchou os principais pontos que serão apresentados por Chew:

🇺🇸
Chew revelará números inéditos sobre usuários: O TikTok tem mais de 150 milhões de usuários nos Estados Unidos, que representam 10% da comunidade global do TikTok. Usuários norte-americanos correspondem a 1/4 de todas as visualizações no mundo. 

MAIS NÚMEROS. Segundo Chew, mais de 40 mil pessoas ao redor do mundo trabalham na área de Trust & Safety da plataforma, incluindo funcionários contratados e terceirizados.

Em 2021, a empresa gastou aproximadamente US$ 1 bilhão nessa divisão.

COMPROMISSOS. Logo no início de seu depoimento, Chew relatou que o TikTok adotará quatro compromissos:

1) Manter segurança, em especial a de adolescentes, uma alta prioridade

2) Protegeremos com uma firewall os dados de usuários dos EUA contra acesso estrangeiro não-autorizado

3) o TikTok permanecerá uma plataforma para livre expressão e não será manipulada por nenhum governo

4) Ser transparente e conceder acesso a monitores terceirizados independentes de maneira que o TikTok siga responsável por seus compromissos.

ACESSO CHINÊS? Segundo Chew, quando o Projeto Texas (leia abaixo) estiver finalizado, todos os dados de usuários nos EUA estarão sob proteção da lei americana e sob o controle desse time de segurança liderado por norte-americanos.

"Sob essa estrutura, não há jeito do governo chinês acessá-los ou obrigar o acesso", escreveu o executivo. Além disso, funcionários da Douyin (a empresa-irmã do TikTok na China) não terão acesso a nenhuma base de dados contendo dados norte-americanos.

"Eu estou bem ciente de que o fato que a ByteDance ter fundadores chineses gerou preocupações de que a nossa plataforma possa ser usada ou transformada em uma ferramenta da China ou do Partido Comunista Chinês", disse Chew.

O executivo defende, porém, que todas as preocupações que foram levantadas têm soluções.

"Banimentos só são apropriados quando não há alternativas", escreveu. Além do mais, um banimento prejudicaria pequenos negócios nos Estados Unidos, danificando a economia do país, silenciaria a voz de 150 milhões de norte-americanos e reduziria a competição em um mercado cada vez mais concentrado.

PROJETO TEXAS. Chew dará a congressistas detalhes do Projeto Texas, que ele chama de ''uma iniciativa sem precedentes" para proteger dados de usuários nos EUA e interesses de segurança nacional dos EUA".

Segundo Chew, o projeto foi pensado para introduzir "camadas de transparência e verificação que são comumente usadas para fornecedores de defesa, mas não para plataformas de consumidores".

Chew detalhou algumas medidas tomadas pelo TikTok no escopo do projeto até agora:

  • até o momento, a implementação do projeto custou US$1,5 bilhão ao TikTok;
  • a empresa fundou uma subsidiária nos EUA – TikTok U.S. Data Security Inc. (USDS) – que possui cerca de 1,5 mil funcionários até agora.
  • foi selado um contrato com a Oracle, empresa de armazenamento em nuvem, para garantir que os dados de todos usuários dos EUA sejam armazenados nos EUA
  • 100% do tráfego de usuários nos EUA é redirecionado à Oracle e à infraestrutura controlada pela subsidiária do TikTok no país
  • a subsidiária USDS está em controle do sistema de recomendação para usuários nos EUA dentro da infraestrutura da Oracle. É esse sistema que determina o que aparece na página For You.
  • a Oracle já começou a inspecionar o código-fonte do TikTok e terá "acesso sem precedentes" a modelos algorítmicos e de dados.
  • neste mês, o TikTok começou a apagar dados de usuários norte-americanos que estejam armazenados em servidores que não são da Oracle; a expectativa é concluir o processo até o fim do ano

MITOS E VERDADES. Em uma parte do depoimento, Chew relata mitos e verdades sobre o TikTok.

1) Mito de que a estrutura corporativa do TikTok torna a empresa submissa ao governo chinês ou que a empresa compartilha informações sobre usuários nos EUA com o governo chinês

Segundo Chew, o TikTok nunca compartilhou ou recebeu um pedido de compartilhamento de dados de usuários nos EUA com o governo chinês. E "nem o TikTok honraria um pedido do tipo caso ele seja feito". Chew reafirmará que a ByteDance não é um agente chinês ou de qualquer outro país.

2) Mito de que o TikTok coletaria dados de GPS de usuários nos EUA

Chew afirma que isso não é verdade. "Versões atuais do app não coletam dados de GPS exato ou aproximados de usuários nos EUA".

Texto Laís Martins
Edição Sérgio Spagnuolo
TikTok
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.