Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

O Google unificou seus produtos de inteligência artificial gerativa em uma só marca: Gemini.

O QUE HOUVE? O anúncio foi feito na manhã desta quinta (8.fev). Na real, os anúncios, no plural:

  • Bard, o chatbot de IA do Google, agora se chama Gemini;
  • No Android, há um novo aplicativo chamado… Gemini. Quem usa iOS terá contato com os recursos de IA da empresa pelo aplicativo oficial do Google;
  • Recursos de IA destinados a empresas, como o Dual AI, foram reunidos em uma nova marca. É, sim, Gemini for Workspace;
  • Os recursos do Google Cloud, que também se chamavam Duet AI (branding não é o forte do Google), agora se chamam apenas Gemini porque sim;
  • O Gemini Ultra, a versão mais poderosa do grande modelo de linguagem, foi disponibilizado sob o nome (adivinhe) de Gemini Advanced.

OK, MAS… O Gemini Advanced é restrito a assinantes de um novo plano do Google One, o AI Premium. No Brasil, custa R$ 96,99 por mês.

O Google afirma que o Gemini Ultra é mais poderoso que o GPT-4, da OpenAI.

No anúncio, o CEO do Google, Sundar Pichai, disse que o Google One (todos os planos) está próximo de alcançar 100 milhões de assinantes.

O QUE MAIS? Pichai define o momento como “o início da era Gemini”.

A última vez em que o Google apostou tudo em uma marca só foi… em 2012, com o Google+? Não deu muito certo na época.

Semana que vem o Google apresentará novidades do ecossistema Gemini voltadas para desenvolvedores.

Via Google (em inglês).

Post feito em parceria com o Manual do Usuário

GoogleInteligência ArtificalManual do Usuário
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.