Por que o médico preso por estupro ganhou milhares de seguidores?

Depois do crime, começaram a crescer tanto contas falsas quanto o perfil original de Giovanni Quintella Bezerra.

Receba de graça a newsletter Garimpo


Depois da divulgação do caso do médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra, preso em flagrante por estuprar uma mulher grávida durante o parto, contas em redes sociais em nome dele começaram a ganhar milhares de seguidores. Vários tweets viralizaram citando os números em diferentes momentos.

Mas por que tantas pessoas decidem seguir o autor de um crime hediondo nas redes sociais?

Não é uma resposta simples, já que as motivações podem variar.

Em entrevista por email ao Núcleo, a psicóloga e professora da PUC-SP Andréa Jotta, especializada em ciberpsicologia, elencou algumas hipóteses:

"Curiosidade, querer ser o primeiro a dar furos caso algo aconteça ali, ibope, desinformação, perfis falsos de outras pessoas com o mesmo comportamento. Conteúdos ligados a pornografia em geral tendem a 'vender' na internet, não importa o teor. Enfim, uma infinidade de comportamentos bem pouco salutares que os brasileiros têm na internet. A pergunta talvez seria: por que pessoas como essas não são bloqueadas pelo Instagram? Por que as redes sociais não coíbem que criminosos as usem? Por que conteúdos como o filme do estupro continuam rodando pela internet, incentivados principalmente pelos algoritmos, que, óbvio, não têm um mínimo de consideração ou bom senso? Por que algoritmos tão agressivos continuam sendo permitidos livremente no Brasil?
Enfim, o ser humano tem muitas nuances, e a internet expõe gritantemente, muitas vezes, aquilo que mais queremos esconder."

O perfil original de Bezerra no Instagram foi deletado algumas horas depois das notícias sobre o crime. As quantidades de seguidores citadas nos tweets acima se referem também a contas falsas criadas depois do caso.


Faça parte da conversa

Reações de apoiadores
carregando reações...

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca