O roubo de um Porsche em Nova Iguaçu rendeu até um debate sobre classes sociais

Um mecânico decidiu dar rolê com o carro do cliente e foi assaltado, e cada detalhe da história foi examinado pelo Twitter.

Receba de graça a newsletter Garimpo


Ontem soubemos dessa história maravilhosa postada no Twitter de um diretor do SBT Rio. Rolou em Nova Iguaçu: um cliente deixou um Porsche de 1 milhão para consertar o rádio, o mecânico foi dar um rolê com o carro e terminou sendo assaltado.

Mas os bandidos tinham consciência de classe:

A história em si já é fantástica, mas a conversa que este tuíte desencadeou é tão boa quanto. A começar pelo valor do Porsche, imediatamente contestado.

Ok que a conta tava errada em R$ 940 mil, porém comprometer R$ 60 mil já ia ser o suficiente, né. Principalmente quando os R$ 60 mil NEM SEUS SÃO.

E este nem foi o detalhe da história que pareceu mais maluco. Muita gente estranhou que um dono de Porsche levasse o carro para consertar em Nova Iguaçu.

Mas como o Rio de Janeiro continua sendo, claro que apareceu um amigo do mecânico.

Pelo jeito, a fama de Nova Iguaçu não tá lá essas coisas.

E os moradores apareceram para esclarecer as coisas.

Vamos desfazer os preconceitos com as cidades da Baixada, pessoal.

Surgiu até uma nova classe social, que parece ficar entre a classe média e os ricos & milionários: os BEM DE VIDA.

O atrevimento dos assaltantes também foi notado.

A história toda suscitou uma reflexão moral um pouco estranha, que foi prontamente respondida logo abaixo:

E não passaram batidas as semelhanças com um clássico da Sessão da Tarde. Não dá pra negar que a história foi praticamente um "Curtindo a Vida Adoidado" versão Baixada.

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca