Reações no Telegram encontram seu público 👍❤️💩

O uso de emojis para reagir a mensagens é um sucesso no Telegram.

Enquanto o mundo contava os minutos para a virada de ano, o Telegram liberou a 12ª e última grande atualização de 2021, que trouxe como destaque elas: as reações. Em um ano cheio de novidades, como o chat de voz (clone do Clubhouse), as reações talvez tenham sido a mais legal.

O Telegram explica que as reações servem para “compartilhar sentimentos e feedback — sem a necessidade de escrever novas mensagens”. Desde que o recurso foi disponibilizado, passei a usá-lo todo dia. (O Lixo Eletrônico, grupo do Núcleo, também o ativou.) As reações, de fato, cumprem bem essa função.

Aquelas mensagens curtas de concordância — ok, blz, tá bom — e de reações — amei, que horrível — podem ser substituídas pelos emojis. [Nota do editor: eu gosto de usar as expressões "show" ou suas variações "chou", "show de bola" e "show de buela", esta última numa tentativa pueril de fazer graça com espanhol]

[Opinião do autor]: Já estava acostumado às reações no Signal, onde existem desde fevereiro de 2020, então não chegou a ser uma novidade, no sentido estrito do termo. Mas foi uma bem-vinda. Algumas estatísticas iniciais do Telegram evidenciam a popularidade das reações, a saber:

  • São 11 reações possíveis: 👍 👎 ❤️ 🔥 🎉 🤩 😱 😁 😢 💩 🤮
  • Em 7 dias (30.dez.2021 a 5.jan.2022), +33 mil canais ganharam reações e +25 milhões de reações foram deixadas por leitores.
  • Canal com mais reações é o do blogueiro Nekoglai (@nekogla1). Algumas de suas postagens têm +60 mil reações.

Ao contrário do Signal, que permite escolher qualquer emoji como reação, no Telegram eles são limitados a 11, todos animados. Cabe aos administradores de canais e grupos ativarem o recurso e escolherem quais podem ser usados.

O joinha (👍) tem um apelo extra por ser ativável com dois toques rápidos na mensagem, mas o usuário pode alterar a sua reação rápida nas configurações do app.

E o WhatsApp? Desde agosto o Facebook/Meta vem testando reações no WhatsApp. (A ironia é que o Facebook foi quem popularizou as reações ao lançá-las na rede social homônima, em 2016.) A julgar pelo sucesso que fazem no Telegram, deve ser questão de tempo até as reações estarem em todos os lugares.

Via Dicas Telegram.

Edição Sérgio Spagnuolo


Faça parte da conversa

Reações de apoiadores
carregando reações...

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca