TSE e plataformas digitais firmam acordo para combater desinformação nas eleições

Só faltou o Telegram.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) firmou parcerias com as principais plataformas digitais que atuam no Brasil para combater a desinformação nas eleições gerais de outubro: Facebook (e Instagram), Google (e YouTube), Kwai, TikTok, Twitter e WhatsApp.

Os acordos valem até 31 de dezembro.

Entre as medidas definidas em memorandos de entendimento, estão:

  • o apoio na divulgação de mensagens e comunicados do TSE nas plataformas;
  • a criação de canais de denúncias para os usuários;
  • rótulos para identificar mensagens mentirosas;
  • hubs de informações;
  • apoio a agências de checagem de fatos;
  • e treinamentos para servidores do TSE, TREs e partidos políticos.

No evento de assinatura dos acordos, feito de maneira virtual na manhã desta terça (15.fev), o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, disse que “as plataformas digitais e os aplicativos de mensagens instantâneas se tornaram hoje um grande espaço público, apesar de serem empresas privadas, por onde trafega boa parte das informações, opiniões, ideias e notícias”.

A ausência notável no rol de plataformas foi o Telegram, que continua ignorando o TSE e outras autoridades brasileiras.

Via justicaeleitoral/YouTube.

Meta anuncia canal de denúncias dedicado ao TSE
Canal faz parte de acordo entre TSE e plataformas para combate à desinformação durante as eleições

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca