Twitter aciona “poison pill” para dificultar tentativa de aquisição hostil por Elon Musk

Manobra prevista no estatuto dificulta a vida de quem faz uma proposta de aquisição hostil

O Twitter optou por não ceder — ao menos, não sem lutar — à investida de Elon Musk para adquirir 100% da empresa por US$ 43 bilhões e torná-la privada outra vez.

O QUE ROLOU? Na sexta-feira (15.abr), o conselho de administração do Twitter votou por unanimidade a favor do uso da poison pill (“pílula venenosa”, em tradução livre) para dificultar a vida de Musk.

O QUE VAI ROLAR? A poison pill é um mecanismo de defesa contra aquisições hostis previsto no estatuto de empresas listadas na bolsa. Ao engolir a pílula envenenada, as regras acionárias mudam.

Se um indivíduo ou grupo adquirir mais de 15% das ações do Twitter no mercado aberto, ou seja, sem o aval do conselho, outros acionistas ganharão o direito de comprar ações com desconto.

QUAL A SACADA? Essa manobra compra tempo para o conselho negociar a aquisição com o proponente da aquisição hostil e encarece o prêmio sobre o valor das ações que ele teria que desembolsar para comprar toda a empresa.

A poison pill do Twitter tem validade até 14 de abril de 2023.

Via Seu Dinheiro, Valor Investe.



Faça parte da conversa

Reações de apoiadores
carregando reações...

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca