Em decisão contra empresários, Moraes cita redes sociais 21 vezes

Ministro do STF solicitou fornecimento de dados cadastrais e de acesso e bloqueio das redes dos investigados

Em sua decisão de 32 páginas que autorizou diligências contra empresários que defenderam golpe de Estado em caso de uma possível vitória de Lula à Presidência nas eleições de 2022, o ministro do STF e presidente do TSE, Alexandre de Moraes, citou o termo redes sociais 21 vezes.

Foram dois contextos principais de menções: explicar como as redes estavam sendo usadas para "lesar ou expor" o Judiciário e a democracia, e para intimar as empresas a cumprirem as determinações – por isso o grande número de menções.

Dentre as diligências autorizadas por Moraes na decisão de terça-feira passada (23.ago.2022), estavam o fornecimento de informações cadastrais e dados de acesso e bloqueio das redes sociais de alguns dos investigados.  

"Assim, se torna necessária, adequada e urgente a interrupção de eventual propagação dos discursos com conteúdo de ódio, subversão da ordem e incentivo à quebra da normalidade institucional e democrática mediante bloqueio de contas em redes sociais (Facebook, Twitter, Telegram e Instagram) dos investigados", escreveu Moraes.

Alexandre de Moraes solicitou a Google e Apple todo histórico de dados de empresários

CONTEXTO. Na terça-feira passada, (23.ago.22) o bloqueio das redes sociais de empresários que defenderam um golpe de Estado caso Bolsonaro não seja reeleito no pleito de outubro. A troca de mensagens foi revelada em reportagem de Guilherme Amado no Metrópoles.

Já na quarta-feira, Hang teve suas contas bloqueadas pela Meta e TikTok e na quinta-feira, pelo Twitter e Youtube.

A decisão de Moraes, assim como demais documentos ligados à operação que mirou os empresários bolsonaristas, só foi tornada pública pelo Supremo Tribunal Federal nesta segunda-feira, 29.ago.2022.

Leia a decisão na íntegra

Texto Laís Martins
Edição Sérgio Spagnuolo

Faça parte da conversa

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca