Twitter pune post e pesquisador por divulgação de estudo que atesta segurança eleitoral

Provavelmente de maneira automatizada, a rede social aplicou restrições a um tweet que divulga pesquisa que descarta fraude eleitoral em 2018. O pesquisador também teve a conta bloqueada.

O Twitter, provavelmente de maneira automatizada, aplicou uma punição contra o post de um pesquisador no qual ele divulga uma recente pesquisa que atesta a segurança das eleições brasileiras.

O estudo descarta com "alta confiança" qualquer fraude no sistema eleitoral brasileiro nas eleições presidenciais de 2018. O pesquisador também teve a conta bloqueada.

O QUE ROLOU? O sistema do Twitter provavelmente puniu o tweet – que não pode receber likes nem comentários nem ser salvo em favoritos, e que possui o selo de "Enganoso" – por conta de palavras-chave em inglês utilizadas no post e associadas a desinformação. Apenas retweets comentados podem ser feitos.

[ATUALIZAÇÃO - 16.set.2022 às 13h57]: Após a publicação desta reportagem, o Twitter removeu as restrições e o selo de "Enganoso" do tweet do pesquisador.

O QUE O TWITTER DISSE. "O referido Tweet foi temporariamente rotulado em decorrência de um engano no sistema de análise de potenciais violações às regras do Twitter. O erro foi identificado e a medida foi revertida."

CONSEQUÊNCIAS. Ao punir o tweet e o perfil do pesquisador Dalson Figueiredo, professor da UFPE com ampla lista de trabalhos e citações acadêmicas, o Twitter também "quebrou" o fio com quatro tweets na mesma cadeia, o que prejudica a leitura de qualquer contexto.

SOBRE A PESQUISA. O título da pesquisa é The forensics of fraud: Evidence from the 2018 Brazilian presidential election (tradução em português: Análise forense de fraude: evidências da eleição presidencial de 2018).

Entre as conclusões do estudo, publicado no periódico Forensic Science International: Synergy, estão evidências de que há um alto nível de confiança de que não houve fraude há quatro anos.

"A evidência aqui apresentada descarta a possibilidade de fraude na eleição presidencial de 2018 com um alto nível de confiança", diz um dos itens de destaque do estudo.

Texto Sérgio Spagnuolo
Edição Julianna Granjeia

Texto atualizado às 13h57 de 16.set.2022 para incluir restabelecimento pleno do post pelo Twitter.

Texto atualizado às 16h34 de 16.set.2022 para incluir posicionamento do Twitter


Faça parte da conversa

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca