Giphy afirma que GIFs animados são bregas e só gente velha ainda os usa

Startup se diz fora de moda para viabilizar venda à Meta por US$ 400 milhões.

GIFs animados são coisa de gente velha e está fora de moda. Quem diz isso é a Giphy, talvez a maior empresa do mundo especializada em… GIFs animados.

O QUE HOUVE? Em maio de 2020, o então Facebook (hoje, Meta) anunciou a compra da startup britânica Giphy por US$ 400 milhões.

O negócio empacou, porém, porque o órgão que regula a competitividade do mercado britânico (o CADE deles) achou que ele representaria um risco.

A Giphy enviou um documento à autoridade britânica se dizendo favorável ao negócio. Segundo a empresa, essa coisa de GIF animado está com os dias contados e só gente velha ainda os usa.

“Há indícios de um declínio generalizado no uso de GIFs devido a um cansaço do usuário e diminuição do interesse de parceiros de conteúdo com o GIF”, escreveu a startup.

Em outro trecho ainda mais doloroso aos amantes de GIFs, a Giphy disse que:

“Eles [os GIFs] caíram em desuso como uma forma de conteúdo, com usuários jovens em especial descrevendo os GIFs como ‘para boomers’ e ‘cringe’.”

CONTEXO. A Giphy em todo o interesse em pintar o próprio negócio como algo de baixo interesse. Isso facilitaria a liberação da sua venda para a Meta.

Apesar disso, especialistas ouvidos pelo Guardian concordam que esse negócio de GIF é brega.

“Hoje, eles são basicamente uma reação imagética constrangedora que seu chefe millennial usa no Slack”, resumiu o escritor especializado em cultural digital Ryan Broderick.

COMPETIÇÃO. A Giphy é muito usada via API, por parceiros que incorporam seu índice de GIFs em outros aplicativos e em teclados virtuais.

A startup rivaliza com a Tenor, que funciona de modo bem parecido e, em 2018, foi comprada pelo Google por valor não divulgado — o que sinaliza que foi um valor baixo. Na época, ninguém reclamou da aquisição.

0:00
/

Via The Guardian (em inglês).

Post feito em parceria com o Manual do Usuário


Faça parte da conversa

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca