TSE adverte Carlos Bolsonaro e André Janones por desinformação

Corregedor-eleitoral vê comportamentos semelhantes em ambos; monitoramento visa apurar se há produção sistemática de fake news #NúcleoNasEleições

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou, nesta segunda-feira (24.out.22), que os perfis de Twitter e canais de Telegram do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) e do deputado federal André Janones (Avante-MG) sejam monitorados diariamente para apurar se há comportamento que autoriza a suspensão dos perfis, conforme solicitado pelas campanhas de Lula e Bolsonaro.

ESPELHOS. Em sua decisão, o corregedor-eleitoral, ministro Benedito Gonçalves, argumentou que vê "espelhamento" nas condutas de Janones e Carlos Bolsonaro, seja na "legítima atividade de organização da militância" ou "na difusão de conteúdos falsos ou gravemente descontextualizados, na persistência do uso de termos-chave para reativar os efeitos dos conteúdos removidos e na estratégia mobilizar seguidores a compartilhar conteúdos para tornar inócua eventual decisão da Justiça Eleitoral".

Carlos e Janones atuam como gurus de redes sociais das campanhas de Bolsonaro e Lula à Presidência, respectivamente.

O filho do presidente atua ativamente há anos na gestão das redes do pai, enquanto Janones entrou no campo de Lula apenas em 2022.

ALTERNATIVA. O monitoramento das contas, segundo o ministro, é uma alternativa mais proporcional do que a suspensão de perfis.

"Uma decisão dessa magnitude exige a demonstração de dados concretos e a existência de parâmetros objetivos que demonstrem, com a segurança necessária, que a providência é proporcional ao dano que se quer inibir ou mitigar", disse Gonçalves sobre a suspensão de perfis.

POSSIBILIDADE REAL. Na decisão, Gonçalves adverte Janones e Carlos Bolsonaro de que, caso se conclua em análise jurídica dos relatórios de monitoramento de que há elementos que caracterizem a "produção sistemática de desinformação", os perfis, contas e canais do responsável serão suspensos até às 23h59 de 31.out.2022.

O monitoramento dos perfis, que deve resultar em relatórios diários, ficará a cargo da Assessoria Especial de Enfrentamento à Desinformação do TSE. A assessoria deverá incluir prints das postagens de cada dia e indicar quando houver um conteúdo que já foi objeto de decisão do tribunal.

Leia as decisões na íntegra:

Texto Laís Martins
Edição Sérgio Spagnuolo

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca