Musk promete liberdade no Twitter, mas sem festa do caqui

"O Twitter obviamente não pode se tornar um inferno livre-para-todos, onde qualquer coisa possa ser dita sem consequências", escreveu o empresário, que visitou a sede da empresa ontem

Elon Musk, que está terminando de comprar o Twitter, apareceu ontem (26.out) na sede da empresa segurando uma pia.

"Let that sink in", twittou ele. "Sink", em inglês, quer dizer "pia" ou "afundar". A expressão "let that sink in" pode ser traduzida como "pense nisso" ou "reflita sobre isso", mas, neste contexto, serve como legenda literal do vídeo de Musk: "Deixe que a pia entre". É uma piada de duplo sentido.

Muito engraçada, né? Eu não acredito que gastei meu inglês pra isso.

Mas o assunto aqui é a cartinha aberta que Musk publicou para os "caros anunciantes do Twitter", dizendo que "o Twitter obviamente não pode se tornar um inferno livre-para-todos, onde qualquer coisa possa ser dita sem consequências".

Vamos ao texto original e, na sequência, à tradução.

Reprodução / Twitter
Reprodução / Twitter

A razão pela qual adquiri o Twitter é porque é importante para o futuro da civilização ter uma praça comum digital, onde uma ampla gama de crenças possa ser debatida de maneira saudável, sem recorrer à violência.

Atualmente, existe um grande perigo de que as mídias sociais se fragmentem em bolhas de extrema direita e extrema esquerda que geram mais ódio e dividem nossa sociedade.

Na busca incansável por cliques, grande parte da mídia tradicional alimentou e atendeu a esses extremos polarizados, pois acredita que é isso que traz dinheiro, mas, ao fazê-lo, perde-se a oportunidade de diálogo.

Por isso comprei o Twitter. Não o fiz porque seria fácil. Não o fiz para ganhar mais dinheiro. Fiz isso para tentar ajudar a humanidade, a quem amo. E o faço com humildade, reconhecendo que o fracasso em perseguir esse objetivo, apesar de nossos melhores esforços, é uma possibilidade muito real.

Dito isto, o Twitter obviamente não pode se tornar um inferno livre-para-todos, onde qualquer coisa possa ser dita sem consequências! Além de cumprir as leis do país, nossa plataforma deve ser calorosa e acolhedora para todos, onde você pode escolher a experiência desejada de acordo com suas preferências, assim como pode escolher, por exemplo, ver filmes ou jogar videogames com diferentes classificações indicativas."

O rapper Zuby respondeu à carta sugerindo que o Twitter encontre uma maneira de pagar seus criadores mais populares, "como todos os outros aplicativos de mídia social". Musk respondeu "absolutely", que pode ser traduzido como "com certeza".

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca