As principais notícias sobre redes sociais que surgiram durante o recesso

Desculpe, estávamos descansando enquanto o mundo derretia lá fora.

O Núcleo deu uma parada no fim de ano para recarregar as energias, mas o mundo não parou.

Neste retorno às atividades, compilamos abaixo os principais acontecimentos que não noticiamos pois estávamos bebendo bons drinks e descansando.

A ordem da lista não tem qualquer critério:

  • TikTok expandirá restrição a menores de idade. Em 2022, o TikTok lançou um controle para restringir lives a adultos. Agora, a empresa anunciou que esse controle será expandido a vídeos curtos. [TikTok]
  • EUA contra TikTok. A revelação de que o TikTok espionou a localização de jornalistas norte-americanos azedou as relações do aplicativo chinês com o governo de lá. Em decorrência, o governo federal dos EUA e a Câmara dos Representantes (equivalente à nossa Câmara dos Deputados) baniram o uso do TikTok em celulares oficiais. [NBC News, The Verge]
  • Caos no Twitter continua. O período de festas não conteve Elon Musk — ele continuou barbarizando no comando do Twitter. Nesse período, o Twitter removeu alertas de prevenção ao suicídio (depois reverteu a decisão), deixou de pagar aluguéis e foi processado na Justiça por isso e uma das empresas que bancaram a compra da empresa por Musk cortou pela metade (em 56%) a avaliação da empresa. Em 2022, aliás, Musk tornou-se a primeira pessoa da história a perder US$ 200 bilhões (~R$ 1,08 trilhão). [Reuters, Engadget, Nasdaq]
  • Anúncios políticos devem voltar ao Twitter. Com a receita de publicidade em queda livre desde a aquisição por Musk, o Twitter anunciou que voltará a aceitar anúncios políticos, revertendo uma decisão de 2019. Na época, a empresa justificou o banimento dizendo que “influência política deve ser conquistada, não comprada”. [New York Times]
  • Trump volta ao Facebook? A Meta deverá decidir, nos próximos dias, se Donald Trump poderá voltar a usar as redes sociais da plataforma — Instagram e Facebook. [Reuters]
  • “Tópicos” no Telegram. O recurso de tópicos, que permite segmentar grupos do Telegram em salas temáticas (tipo o Discord), foi liberado a todos os grupos. Até então, o recurso só estava disponível a grupos com no mínimo 100 membros. [Telegram]

Faltou alguma coisa?

Post feito em parceria com o Manual do Usuário

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca