Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Pesquisadores afirmam que um algoritmo de Inteligência Artificial de aprendizado de máquina pode identificar o que está sendo digitado em um teclado com 93% de precisão, com base nos sons das teclas sendo pressionadas.

COMO ASSIM? Os pesquisadores utilizaram um MacBook Pro de 2021 para o estudo, digitando cada uma das 36 teclas 25 vezes para treinar o modelo.

Eles gravaram o áudio do teclado utilizando um dispositivo móvel a uma distância de 17 centímetros no primeiro teste e através do microfone do laptop durante uma chamada no Zoom no segundo teste.

  • Em ambos os testes, a precisão ultrapassou 93%, com o áudio gravado pelo telefone atingindo cerca de 95 - 96% de precisão.
  • Os pesquisadores observaram que a posição da tecla parecia desempenhar um papel importante na determinação dos perfis sonoros. A maioria das classificações incorretas, segundo eles, apontavam letras que estavam apenas uma ou duas teclas distantes da letra pressionada.

Eles ressaltam que a combinação de aprendizado de máquina, microfones e chamadas de vídeo é uma ameaça séria à cibersegurança das pessoas, especialmente aquelas que usam laptops em locais públicos mais silenciosos.

DEFESA. Os pesquisadores propõem várias defesas contra esse tipo de ataque, entre elas:

  • Utilizar senhas aleatórias com combinações de letras maiúsculas e minúsculas, já que os ataques têm dificuldade em reconhecer os sons associados às teclas maiúsculas;
  • Optar por ferramentas biométricas como leitura de impressão digital ou reconhecimento facial em vez de senhas digitadas.

Via ArXiv e Ars Technica (ambos em inglês)

Texto Sofia Schurig
Edição Jade Drummond

Inteligência ArtificalZoom
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.