Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

O vice-presidente da Comissão Temporária sobre Inteligência Artificial (CTIA) do Senado apresentou três requerimentos nesta segunda-feira para convocar audiências públicas e discutir o impacto da inteligência artificial em setores como agricultura, judiciário e finanças.

A CTIA tem até dezembro para estabelecer normas abrangentes para o desenvolvimento e uso responsável de sistemas de IA, visando salvaguardar direitos fundamentais e garantir sistemas seguros.

SETORES. Os requerimentos apresentados pelo senador Marcos Pontes (PL-SP) pedem três audiências específicas com setores diferentes do mercado de trabalho brasileiro.

  • O primeiro grupo engloba os setores da indústria, agricultura, setor público, finanças e poder judiciário;
  • O segundo setor é o da saúde;
  • O terceiro grupo inclui os setores acadêmicos e universidades, além de instituições de ciência, tecnologia e inovação.

ENTENDA. Na redação dos três requerimentos, o parlamentar expõe a importância de debater o impacto e o desenvolvimento da IA em cada setor, seguido pela apresentação de possíveis usos prejudiciais ou impactos negativos.

Pontes indica ainda convidados acadêmicos e pesquisadores para três audiências sobre os grupos de interesse respectivos.

DESTAQUES. Vale mencionar que, no âmbito do poder público, o senador destaca que “a IA pode automatizar tarefas burocráticas, melhorar a transparência na gestão pública e aprimorar o atendimento ao cidadão”.

Em relação ao judiciário, Pontes ressalta que a tecnologia pode “ser utilizada para acelerar processos judiciais, analisar evidências e auxiliar nas decisões legais”.

Senado instala Comissão sobre inteligência artificial
A primeira atividade do colegiado será uma audiência pública com o vice-presidente sênior do Google, Prabhakar Raghavan.
Texto Sofia Schurig
Edição Alexandre Orrico

selo do legislatech

Inteligência ArtificalLegislatech
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.