Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

O site “Hamas.com”, divulgado pelo governo de Israel nas redes sociais como uma vitrine dos crimes contra a humanidade cometidos pelo Hamas, pode conter vírus e infectar os dispositivos que acessam a página.

PORQUE IMPORTA. As diretrizes do X proíbem explicitamente o compartilhamento de links que redirecionem usuários para sites maliciosos, assim como para páginas com conteúdo de violência gráfica. No “Hamas.com”, é possível visualizar imagens explícitas e não editadas dos massacres ocorridos na guerra entre Israel e Gaza desde 7.out.

ENTENDA. Ao menos cinco antivírus distintos identificaram potenciais vírus, malwares ou esquemas de phishing associados ao site, conforme análise realizada pela VirusTotal, uma subsidiária da Alphabet, empresa controladora do Google.

A plataforma oferece serviços de teste em diversos antivírus, examinando arquivos individuais e URLs mediante solicitação. A VirusTotal opera essencialmente como um consolidador de informações sobre várias programas e ferramentas, mantendo parcerias com dezenas de empresas do setor.

Posts da conta oficial de Israel que compartilham o link do site estão sendo checados pelas notas da Comunidade do X, a ferramenta de contexto da rede, que alerta os usuários a terem cautela e evitarem clicar na página.

De acordo com uma análise do SimilarWeb, uma ferramenta de análise de websites e aplicativos, mais de 35 mil pessoas visitaram o site somente em out.23.

Quer entender mais de Israel e Palestina? Siga estes perfis
Jornalistas e estudiosos brasileiros estão publicando informações e análises em tempo real
Texto Sofia Schurig
Edição Alexandre Orrico
Twitter/XAlphabet
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.