Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

O Google concordou em pagar organizações jornalísticas no Canadá, após ter anunciado em jun.2023 que bloquearia notícias no país por conta de uma nova legislação que vai obrigar plataformas digitais a remunerar veículos de notícia.

A ministra da Cultura do Canadá, Pascale St-Onge, informou nesta quarta-feira (29.nov.2023) que um acordo foi alcançado entre o governo federal canadense e o Google, reportou a CBC.

MORRE QUANTO NESSA BRINCADEIRA? O valor anual a ser repassado pelo Google aos veículos será na ordem de CAD$ 100 milhões (cerca de US$73 milhões).

O governo federal havia estimado que a empresa deveria pagar algo em torno de CAD$170 milhões.

PAGA, MAS RECLAMA. Um porta-voz do Google expressou preocupação com a nova legislação de pagamento de notícias no país. A empresa não quer negociar individualmente com cada organização, preferindo tratar com uma entidade que represente todo o setor.

A Meta já bloqueou notícias no Facebook em território canadense.

Google bloqueará notícias no Canadá
Google segue os passos da Meta. Decisão é resposta a lei que as obriga a pagar por links de notícias.
Meta vai bloquear links de notícias no Canadá
Dona de Facebook e Instagram confirmou que não será mais possível compartilhar links de veículos de jornalismo após regulação ser aprovada
🤖
CONTEXTO

A lei C-18 do Canadá é uma legislação que obriga plataformas digitais, como Google e Meta, a remunerarem veículos jornalísticos pelo uso de seus conteúdos. Inspirada em uma lei similar da Austrália, a C-18 foi aprovada pelo parlamento canadense e tem como objetivo garantir que as empresas de mídia sejam compensadas quando suas notícias são compartilhadas ou acessadas através dessas plataformas.

A legislação é controversa e tem sido duramente criticada pelas Big Tech, além de gerar discussões sobre as implicações para a liberdade de expressão e o acesso à informação.

Resumo escrito pelo nosso bot de IA, o Nuclito, e revisado por nossos editores. Saiba mais aqui.
GoogleMeta
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.