Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Mais de 200 mil alunos de mestrado, doutorado e pós-doutorado deixarão de receber suas bolsas, cujo depósito estava previsto para esta quarta-feira (7.dez).

O motivo é o corte orçamentário imposto pelo Ministério da Educação à Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), que divulgou uma nota sobre o assunto nesta terça-feira.

Na segunda-feira, o ministro da Educação, Victor Godoy, já tinha informado à equipe de transição de governo que a pasta também não conseguirá pagar os 14 mil médicos residentes que trabalham nos hospitais universitários federais.

"Como você reagiria se o empregador ou a empresa onde você trabalha de repente avisasse que não tem dinheiro para pagar o seu salário em um dos principais meses do ano, como dezembro?", perguntou o ex-bolsista da Capes Maicon Milanezi no TikTok.

@maiconmilanezi SEM VERBA💸 O Ministério da Educação (MEC) não tem como pagar em dezembro os 14 mil médicos residentes de hospitais federais e outros cerca de 100 mil bolsistas da Capes após congelamento de verbas decretado pelo governo de Jair Bolsonaro (PL) na semana passada. A informação foi passada pelo atual ministro da Educação, Victor Godoy, à equipe de transição em reunião nesta segunda-feira, 5. Este foi o primeiro encontro com o governo eleito sobre a área da educação. “Nossa maior preocupação é o não ter como pagar os serviços já executados para o MEC, para as universidades, para o Inep”, disse Henrique Paim, coordenador da equipe de educação de transição, ex-ministro e atual professor da Fundação Getulio Vargas (FGV). São recursos que deveriam ser pagos até o fim do ano, mas um decreto do presidente, do dia 1º, zerou totalmente o caixa do MEC. Segundo Paim, o próprio ministro se mostrou preocupado na reunião. Os 14 mil médicos residentes que atuam em hospitais universitários federais têm um custo de R$ 65 milhões. Neles estão incluídos, por exemplo, os que trabalham no Hospital São Paulo, na capital, ligado à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) são 100 mil em mestrado, doutorado e pós doutorado no Brasil e no exterior e outros 60 mil em bolsas de formação de professores. Fonte: Estadão #educacao #pesquisa #forabolsonaro #mec #bolsista #capes ♬ som original - Maicon Milanezi

Os valores, que já são baixos (R$ 1.500 para mestrado, R$ 2.200 para doutorado e R$ 4.100 para pós-doutorado), estão defasados há quase uma década.

Além disso, os pesquisadores precisam se dedicar aos estudos com exclusividade, e a bolsa é sua única fonte de renda.

Selecionamos abaixo alguns depoimentos e análises sobre as consequências dos cortes.

"Pessoas sem saber como vão comer amanhã"

"Não recebe décimo terceiro salário"

"Não tem dinheiro para água"

"Federais paradas"

O Gil do Vigor se juntou aos protestos com a hashtag #PagueMinhaBolsa.

E foi parar no TikTok.

@joaoerickcosta A educação sofre mais um ataque do governo bolsonaro. Estudantes de pós-graduação, bolsistas da CAPES e médicos residentes que vivem neste momento a apreensão de não saberem se receberão a bolsa de dezembro. #fy #foryou #vaiprofycaramba #bolsonaro #bolsonaro2022 #lula #lula2022 #forabolsonaro ♬ original sound - main account got banned

Cabe até um comentário espirituoso como o da Camis, que é mestranda, mas a situação é muito, muito grave.

Twitter/XTikTokPolítica
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.