Como o MBL passou de fenômeno hipster para chacota VillaMix

Depois da autocrítica em 2019, uma sequência de vexames em 2022.

Receba de graça a newsletter Garimpo


Você lembra onde estava quando ouviu falar do Movimento Brasil Livre pela primeira vez?

Parece a introdução da pior cantada de todos os tempos, e provavelmente é mesmo.

Eu não lembro onde estava, mas me recordo de ter ouvido falar deles pela primeira vez nesta reportagem de 2014 de María Martín para o finado El País Brasil:

Entre outras coisas, a matéria revelava que o MBL estava por trás da campanha do Paulo Batista, candidato (derrotado) a deputado estadual por São Paulo em 2014. Aquele, do vídeo do Raio Privatizador. Era engraçado, juro.

O que ainda era segredo, revelado só em 2016, é que um dos fundadores do MBL é Pedro D'Eyrot, do Bonde do Rolê. Tudo muito hipster mesmo, muito descolex.

O MBL foi um dos protagonistas do impeachment de Dilma Rousseff. E foram só ladeira acima: membros do movimento se candidataram a cargos nas casas legislativas do Brasil e tiveram votações recordes. Entre os mais célebres, Kim Kataguiri, deputado federal pelo estado de São Paulo, e Fernando Holiday, vereador em SP. (Aliás, Holiday deixou o movimento no começo de 2021, sabia? Eu não sabia.)

Já não eram mais os hipsters da matéria do El País. Com a adesão do youtuber Arthur do Val "Mamãe Falei", mais tarde eleito deputado estadual por São Paulo, o perfil do MBL foi ficando cada vez mais... VillaMix.

Depois do impeachment de Dilma, o MBL ganhou mais uma: apoiou a candidatura vitoriosa de Bolsonaro, em 2018. Mas desembarcou do governo no ano seguinte e, pra surpresa sincera de muita gente, meteu AQUELA autocrítica. Nas eleições deste ano, contra Lula e Bolsonaro, entrou pesado na campanha de Sergio Moro.

Aí corta pro ano 2022 do movimento que havia admitido "exagero na agressividade retórica": Kim Kataguiri dizendo que a Alemanha fez mal ao criminalizar o nazismo, Arthur do Val falando que mulheres refugiadas da Ucrânia são fáceis porque são pobres e o fundador Renan Santos gritando e xingando todo mundo durante lives, mais louco que o Inri Cristo de lambreta.

Kim e Arthur correm risco de cassação; Renan, de ter um infarto antes dos 40 anos.

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca