Aqui estão alguns dos principais momentos da CPI da Covid

Comissão rendeu momentos tristes, revoltantes e até hilários

Receba de graça a newsletter Garimpo



Hoje a CPI da Covid encerra seus trabalhos pedindo o indiciamento de 66 pessoas e duas empresas, por um total de 23 crimes – entre os indiciados está o presidente Jair Bolsonaro e, entre os nove crimes imputados a ele, está o de charlatanismo.


Esta CPI entra para a história como a comissão parlamentar mais acompanhada, debatida, amada e odiada pelo público. Também foi uma que mais rendeu momentos memoráveis (talvez porque agora a gente captura tudo e joga nas redes sociais).

Aqui estão alguns deles:

De cara, o Senador Angelo Coronel fez a pergunta que pairava na cabeça de todo mundo queria fazer para o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello:

Grande momento: "Eu queria saber pois estou curioso: qual era sua função exatamente?"

E vira e mexe Flavio Bolsonaro apareceu para tumultuar a a CPI:

Grande momento:
01: "Imagina a situação: um cidadão honesto ser preso por um vagabundo como Renan Calheiros?"
Renan: "Vagabundo é você, que roubou dinheiro do pessoal do seu gabinete".

Enquanto a missão do 01 era tumultuar, a infectologista Luana Araújo foi para esclarecer, e definiu o "tratamento precoce" em poucas (e boas palavras):

Grande momento: "é uma discussão delirante, esdrúxula, anacrônica e contraproducente".

Na sequência do depoimento da médica, o senador Marcos do Val (Podemos - ES) veio passando pano para o governo e o Omar Aziz ficou de canto resmungando – só que o resmungo vazou.

Grande momento: "um cabra desse vem falar merda".

Aliás, a corda da paciência do senador Omar Aziz, que preside a CPI, foi puxada muitas vezes, e nem sempre resistiu. Como quando ele deu voz de prisão para o Roberto Dias, ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, depois de ouvir horas de lorotas.

Grande momento:
Advogada do Roberto Dias protestando contra o pedido de prisão: "Ele está aqui desde as 10 da manhã, respondendo às perguntas"...
Omar Aziz, impassível: "Eu também tô aqui".

Para o depoente Luiz Paulo Dominguetti, policial militar que sabe Deus como foi parar no meio de supostas negociações milionárias de vacina,  Omar mandou um recadinho que ficou famoso:

Grande momento: "lá na minha região, chapéu de otário é marreta".

Falando em perder a paciência, a senadora Katia Abreu (PP-TO) teve seus momentos.

Grande momento: "o senhor (...) foi uma bússola que nos direcionou para o caos".

A CPI também teve momentos de desabafo, inclusive de ex-aliados que botavam muita fé no presidente Bolsonaro. Como o deputado Luis Miranda (DEM-DF), que até chorou.

Grande momento: "Que presidente é esse, que tem medo da pressão de quem tá fazendo o errado? De quem desvia dinheiro público das pessoas morrendo nessa p*rra desse Covid?"

Ou do senador Fabiano Contarato (Rede-ES), que denunciou e rebateu o empresário bolsonarista Otávio Fakhoury, que havia feito um comentário homofóbico sobre ele no Twitter.

Grande momento: "O senhor não é um adolescente. É casado, tem filhos. Sua família não é melhor do que a minha”.

A investigação foi a fundo. Tão a fundo que esbarrou em um cara que se intitulava o "Superman brasileiro" e estava listado como diretor de uma instituição ligada à compra de vacinas pelo governo...

Grande momento:
Senador Jean Paul Prates (PT-RN): "o senhor conhece o Aldebaran?"
Amilton Gomes de Paula, depoente, representante do Senar: "assim, conhecer para estar conversando, não"
Senador: "o senhor sabia que ele reivindica... ele reivindica... que ele é o SUPERMAN BRASILEIRO?"

E esse nem foi um dos momentos mais pirados desta CPI da Covid. Ainda teve o senador governista Luis Carlos Heinze (PP-RS) esquecendo onde tinha posto os óculos e criando na vida real o que parece ser um filtro maluco de Instagram.

Grande momento: TUDO.

Mas a real é que a CPI foi essencialmente um negócio pavoroso, como quando a advogada dos médicos que denunciaram a Prevent Senior disse que eles escutavam muito a frase "óbito também é alta".

Texto Clarissa Passos
Edição Alexandre Orrico

Faça parte da conversa

Reações de apoiadores
carregando reações...

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca