O tamanho da população LGBTQIA+ no Brasil está subestimado?

Parece que sim, segundo o próprio IBGE.

Receba de graça a newsletter Garimpo


Pela primeira vez, o IBGE perguntou a orientação sexual da população brasileira em um estudo: a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2019, cujos resultados acabam de ser divulgados.

Entre a população geral acima de 18 anos, 1,2% se declararam homossexuais e 0,7%, bissexuais. Recusaram-se a responder 2,3% dos entrevistados.

A Folha decidiu manchetar que 95% dos maiores de idade se autoidentificaram como heterossexuais.

O número aparentemente baixo de pessoas autodeclaradas homossexuais e bissexuais chamou a atenção.

Mas agora falando sério: o próprio IBGE afirma que o número deve estar subnotificado. A explicação está neste trecho da reportagem da Revista Híbrida sobre a pesquisa:

"Nayara Gomes, analista da PNS, frisou que o número de lésbicas, gays e bissexuais registrado na pesquisa pode estar subnotificado, principalmente por fatores como o estigma e o preconceito, que podem fazer com que as pessoas LGBTI+ não se sintam seguras em declarar a orientação sexual.

'A gente não está afirmando que existem 2,9 milhões de homossexuais ou bissexuais no Brasil. A gente está afirmando que 2,9 milhões de homossexuais e bissexuais se sentiram confortáveis para se autoidentificar ao IBGE como tal', disse."

Deve ser isso, então. Todo dia a gente aprende alguma coisa nova.

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca