Presa é suspeita de assassinar amigo e assumir sua identidade

No Twitter, até uma ex-professora da acusada se mostrou chocada.

Receba de graça a newsletter Garimpo


A DJ e professora de design de moda Michelle Maus contou no Twitter uma história que parece ter saído de um filme, sobre uma ex-aluna sua.

Mas é verdade. Saiu no G1 e no SBT, e a suspeita está presa.

A cantora e maquiadora Maryana Elisa Rimes Paulo, uma mulher trans, é acusada de ter matado o amigo Marcelo do Lago Limeira provocando uma overdose com remédios para dormir. Marcelo estava em processo de transição de gênero.

Segundo a Polícia Civil de São Paulo, Maryana assumiu a personalidade do amigo por um ano e chegou a receber a mesada que a tia dele lhe dava, referente ao aluguel de imóveis em seu nome.

Com uma procuração falsa, Maryana vendeu um carro da vítima e movimentou R$ 1 milhão da conta dele, o que levantou suspeitas da gerente do banco de Marcelo e levou à prisão da cantora.

Ela nega ter cometido o assassinato e assume apenas ter tentado ocultar o cadáver com a ajuda de um amigo, Ronaldo Bertolini, que é investigado como cúmplice e está foragido. Maryana alega que Marcelo se suicidou.

Michelle ficou surpresa com a história. "Parecia uma pessoa boa que tava sempre procurando ajudar mulheres trans e travestis em situação de vulnerabilidade."


Faça parte da conversa

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca