Redes se mobilizam para identificar golpistas

Perfis no Instagram como o Contragolpe Brasil ultrapassam 600 mil seguidores com o objetivo de encontrar autores de atos violentos em prédios públicos de Brasília

Receba de graça a newsletter Garimpo


Até a publicação deste post, centenas de golpistas bolsonaristas que depredaram prédios públicos de Brasília, como o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o STF, já haviam sido presos: 200, segundo o ministro da Justiça Flávio Dino; 300, de acordo a Polícia Civil, e mais de 400, nas contas do governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB).

Enquanto os crimes aconteciam, perfis no Twitter começaram a divulgar o rosto de alguns dos golpistas que participaram dos atos, com o objetivo de identificá-los e levá-los à Justiça. Entre eles, páginas especializadas em cultura pop, como o fórum PAN, a Central Reality e a conta do humorista Antonio Tabet.

Em poucos minutos, perfis no Instagram foram criados para este mesmo fim. A mais popular até agora é o Contragolpe Brasil, que até a publicação deste post já passava dos 600 mil seguidores.

Criada originalmente para abordar a Covid-19, a conta Brasil Fede Covid também está fazendo um trabalho parecido no Instagram.

O jornalista Guilherme Felitti e o pesquisador Adriano Belisario divulgaram dicas para quem quiser colaborar com a identificação dos criminosos.

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca