Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters


⚠️
Alerta de gatilho: este post contém relatos de ofensas machistas, racismo e violência doméstica.


Viralizaram neste fim de semana (2-4.jun) prints em que o tenista brasileiro Thiago Wild envia mensagens de teor machista e racista à sua então mulher, a influenciadora Thayane Lima. Em outra conversa, ele revela as origens nazistas de sua família.

@adrianodicarvalho “Lixo”, “cala a boca”: como o tenista Thiago Wild tratava a ex-mulher Thayane Lima. #ThiagoWild #ThayaneLima #tenista #violenciadomestica #adrianodicarvalho ♬ Moon - Space Doves

Nas conversas, Thiago chama Thayane de "retardada", "idiota", "anta" e "tosca". Manda-a apagar "fotos de piranha", porque "nó na blusa é coisa de puta". Diz que ela convive com "pretas fudidas" e confirma que a mãe dele "não gosta de gays, negros e judeus". Declara-se "opressor e machista": "Você sempre soube que eu sou pró-Bolsonaro". Ao se "desculpar" por quase ter quebrado um dedo dela em um restaurante, diz: "Se eu quisesse te machucar, batia na tua cara".

Reprodução
Reprodução
Reprodução
Reprodução
Reprodução
Reprodução

Outros prints mostram o tenista falando sobre as origens nazistas de sua família.

"O Globo" apurou que ele tem três antepassados ligados ao nazismo:

  • Dietrich Klagges (tataravô): Deu a naturalização alemã a Hitler, nascido na Áustria, para que ele pudesse concorrer a presidente.
  • Ingrun Klagges (bisavó): Filha de um figurão do partido nazista. Sua casa foi frequentada por Hitler e pelo ministro da propaganda do regime, Joseph Goebbels.
  • Friedrich Seyboth (bisavô): Nascido no Brasil, atuou na Segunda Guerra como médico das tropas nazistas.
Reprodução

Neste domingo (4.jun), depois de uma sequência de vitórias, inclusive contra o atual número dois do mundo, Daniil Medvedev, Wild foi eliminado do torneio Roland Garros.

Em comunicado à imprensa, o tenista disse que não pode comentar as postagens em que xinga Thayane por causa de um processo que corre sob segredo de Justiça. "Mas acima de tudo quero lembrar e reforçar que não houve julgamento, então não posso ser considerado culpado."

Sobre os prints em que fala da origem nazista de sua família, diz que tomará medidas judiciais. "Eu e meus pais jamais tivemos ou concordamos com quaisquer posturas racistas, nazistas ou homofóbicas e repudiamos veementemente a campanha difamatória em curso."

Twitter/X
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.