Ser xingado agora é parte da experiência de procurar apartamento

Não bastasse ter que lidar com as categorias 'cativeiro', 'locação de filme de terror' e 'você só pode estar de sacanagem com a minha cara'.

Receba de graça a newsletter Garimpo


Procurar apartamento pode ser uma daquelas experiências de fazer perder a fé na humanidade. Mas nada é tão ruim que não possa piorar muito: você pode, por exemplo, ser xingado gratuitamente pelo anunciante, como aconteceu com o Álamo.

(E, pra deixar a experiência ainda mais típica: além de tudo, era golpe.)

Coincidência ou não, um mês atrás viralizou no Twitter outra oportunidade maravilhosa de aluguel em Brasília.

Mas talvez estejamos sendo injustos com Brasília: é difícil encontrar apartamento em quase qualquer cidade. Além disso, principalmente no imaginário twitteiro, a terra dos aluguéis absurdos com condições precárias de habitação é mesmo São Paulo. Já é um meme consagrado:

Pra você não ficar bravo toda vez que acordar e bater a cabeça no teto, é só lembrar que está desfrutando de um CONCEITO MINIMALISTA.

Uma dica bacana na hora de procurar apartamentos em sites especializados é filtrar os resultados da busca para excluir as categorias "cativeiro", "locação de filme de terror" e "você só pode estar de sacanagem com a minha cara". Evitaria encontrar coisas como esta:

Mas às vezes é só questão de branding. Assim como transformaram "república" em co-living, alguém pode inventar um nome chique pra "colchão torto enfiado no meio de sei-lá-que-móvel-é-esse".

Por exemplo, dá pra dizer que este banheiro é privacy-less. Ou que ele faz parte do conceito de open-pooping, que tá super em voga.

O mais legal é quando o absurdo arquitetônico nem é por falta de espaço, é porque o responsável quer questionar as estruturas mesmo, romper com os limites da arte, tipo Duchamp.

Mas vamos fazer o quê, né? Vamos rir. Ver o meme aqui embaixo e dizer "pior que é assim mesmo".


Faça parte da conversa

Reações de apoiadores
carregando reações...

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca