Mirando eleições de 2022, TSE tenta mais uma vez contato com Telegram

Presidente do TSE enviou ofício a Pavel Durov pedindo reunião para falar de combate à desinformação

Dizem que brasileiro não desiste nunca e o ministro Luis Roberto Barroso, presidente do do Tribunal Superior Eleitoral, está aí para confirmar. Na quinta-feira, Barroso enviou um ofício a Pavel Durov, CEO e fundador do Telegram, pedindo uma reunião para tratar de cooperação no combate à desinformação, informou o site do TSE.


É importante porque...
  • Sem Telegram, esforços entre empresas de redes e TSE mirando eleições de 2022 fica desfalcado
  • Em comparação com outras redes, o aplicativo tem menos moderação e têm recursos, como o tamanho dos grupos, que facilitam disseminação de conteúdo desinformativo.
  • Telegram já está presente nos smartphones de mais da metade dos brasileiros

Não é a primeira vez que o TSE tenta estabelecer contato com o Telegram. Em junho, Aline Osorio, secretária-geral do TSE e coordenadora do Programa de Enfrentamento à Desinformação, disse em entrevista à Folha de S. Paulo que o Telegram era um grande desafio e que estavam tentando contato até por vias diplomáticas.

Em julho, mostramos em reportagem aqui no Núcleo como o Telegram opera no escuro no Brasil. O fato do aplicativo de mensagens não ter representação no país – nem mesmo para fins legais -- dificulta uma possível cooperação, mas Barroso sugeriu que o encontro ocorra com algum representante.

Texto Laís Martins
Edição Sérgio Spagnuolo

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca