Newsletters, áudios e comunidades perdem espaço no Twitter
Layla Cruz

Diretoria do Twitter quer focar em crescimento e personalização, “áreas que terão o maior impacto positivo no debate público”

Não bastassem as incertezas da aquisição hostil por Elon Musk, mudanças na liderança da empresa e o congelamento de contratações, os funcionários do Twitter tiveram outra surpresa nos últimos dias: uma guinada de prioridades no desenvolvimento de produtos, segundo a agência Bloomberg.

O QUE HOUVE? Executivos do Twitter disseram aos funcionários que a empresa focará em duas áreas: crescimento e personalização.

Para isso, ainda segundo a publicação de negócios, recursos e pessoal de “ambições de longo prazo”, como os espaços de áudio, comunidades e newsletters, reduzidos e/ou realocados para as duas áreas prioritárias.

A movimentação está sendo conduzida por Jay Sullivan, que assumiu a liderança de produtos em maio, depois que o CEO Parag Agrawal demitiu alguns líderes da empresa.

POSIÇÃO OFICIAL. Em nota à Bloomberg, o Twitter disse que:

Estamos fazendo algumas atualizações na estrutura e cronograma da nossa equipe de produtos para o consumidor a fim de focar melhor em áreas que terão o maior impacto positivo no debate público.

E AGORA? A notícia sinaliza uma mudança drástica de curso, mas não se sabe se influenciada pela sombra de Elon Musk, possível novo dono do negócio e crítico ferrenho de algumas decisões de negócio da diretoria do Twitter.

Nos últimos anos, o Twitter criou novos produtos para brigar com Clubhouse (“Espaços” de áudio), Patreon (comunidades e “Superfollows”) e Substack (com a aquisição do Revue, serviço de newsletters similar ao rival).

Outro fator que pode estar pesando é a crise que afeta, em especial, empresas de redes sociais que dependem de anúncios segmentados. A subida dos juros e recursos de privacidade da Apple têm impactado negativamente empresas como Snap e Meta.

Há poucas semanas, o Facebook anunciou sua desistência do mercado de áudio, que tinha ganho um impulso um ano antes na esteira do sucesso repentino do Clubhouse. Das newsletters da rede social, também anunciadas com grande alarde, pouco se ouve falar.

Via Bloomberg (em inglês).


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca