Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Que o histórico de aplicativos de mensagens do Google é uma bagunça, não é novidade. Que o GTalk, o primeiríssimo (e o mais querido) desses apps, ainda estava ativo, isso sim é uma surpresa.

O QUE HOUVE? O Google avisa que o suporte ao GTalk em aplicativos de terceiros, como Pidgin, Trillian e Adium, será encerrado na próxima quinta-feira (16.jun).

O GTalk funciona(va?) no protocolo aberto XMPP, o que permitia acessá-lo e conversar com contatos de lá usando outros aplicativos que não o oficial do Google.

Se você está perto de tomar a quarta dose da vacina de covid-19, deve lembrar com afeto desta singela janelinha:

Janela de conversa quadradinha do GTalk, com a lista de contatos ao fundo, destacando o logo do GTalk (em beta).
Dê um desconto, não havia monitor Full HD naquela época. Imagem: ReviewStream/Reprodução.

MORREU, MAS PASSA BEM. Lançado em 2005 dentro do Gmail, o GTalk foi o primeiro bate-papo do Google. Era simples, leve e rápido, e desde o início oferecia chamadas de voz e vídeo — muito antes do Zoom existir.

O fim do suporte a aplicativos de terceiros é o último prego no caixão do GTalk.

O aplicativo oficial foi descontinuado em 2013, dando espaço ao Hangouts, aplicativo parte do Google+ (lembra desse?), sem suporte ao XMPP.

Em 2017, o GTalk foi encerrado, mas o Google manteve acesso via aplicativos de terceiros — pelo menos, até agora.

Demorou tanto para o GTalk dormir em paz que, agora, o Hangouts nem existe mais (acho). Em seu lugar, o Google agora recomenda o Google Chat, o aplicativo de mensagens do Google Workspace.

Via Google, blog do Google (2017), Wikipedia (todos em inglês).

Post feito em parceria com o Manual do Usuário

GoogleManual do Usuário
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.