Meta dá novos sinais sobre o fim do CrowdTangle

Ferramenta de monitoramento de redes sociais estará ativa pelo menos até novembro, mas dá sinais de enfraquecimento

Pesquisadores e usuários do CrowdTangle têm notado falhas constantes e problemas de funcionamento na plataforma da Meta, segundo reportagem publicada pela Bloomberg na quinta-feira (23.jun.2022), em mais um indício de que a empresa está lentamente asfixiando as operações da ferramenta de monitoramento, crucial nos esforços de combate à desinformação e de transparência sobre o que acontece na plataforma.

O CROWDTANGLE. É uma ferramenta de monitoramento de redes sociais que foi comprada pela Meta em 2016. É usada por pesquisadores, acadêmicos, jornalistas e checadores de fatos.

É IMPORTANTE PORQUE... é uma das poucas janelas que jornalistas e pesquisadores têm para dentro das métricas da Meta, sem depender de informação entregue já mastigada pela empresa (como os relatórios de transparência). Sem o CrowdTangle, toda essa comunidade deve ficar à mercê das informações que a Meta optar por disponibilizar.

DIAS CONTADOS. À Bloomberg, Erin McPike, porta-voz da Meta, disse que a empresa vai manter o CrowdTangle vivo até pelo menos as eleições de meio mandato nos Estados Unidos, que ocorrem em novembro deste ano. Isso significa que, em teoria, a plataforma vai estar operante durante as eleições brasileiras em out.2022.

SINAIS CONSECUTIVOS. Não é de agora que a Meta dá sinais de que pretende encerrar o CrowdTangle.

  • Em meados de 2021, a equipe que trabalha com CrowdTangle dentro da Meta foi desmantelada e foi assinalada para outros projetos;
  • A Meta também rescindiu um contrato de US$40 mil com pesquisadores para entender discussões públicas ao redor da pandemia de COVID-19;
  • O ex-CEO do CrowdTangle, Brandon Silverman, deixou a empresa em outubro;
  • E em janeiro deste ano, a Meta deixou de aceitar novos usuários no CrowdTangle.

PEDRA NO SAPATO. À medida que o CrowdTangle ganhou popularidade entre jornalistas e pesquisadores, que passaram a usar a ferramenta para entender como a desinformação percorre as plataformas do FB, além de identificar outras violações, cresceu o incômodo na Meta.

Segundo a Bloomberg, a empresa chegou a disputar publicamente algumas das conclusões que jornalistas e pesquisadores tiraram a partir do CrowdTangle – a despeito do fato da ferramenta usar dados da própria empresa.

"Executivos não conseguiam mais tolerar dar apoio a uma ferramenta que resultou em tantas crises de relações públicas para a Meta", diz a reportagem da Bloomberg.

Texto Laís Martins
Edição Sérgio Spagnuolo

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca