Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

A Tesla não está preparada para o retorno ao trabalho presencial, ainda que o CEO Elon Musk tenha anunciado em 3 de junho a demissão dos funcionários que se negassem ao retorno presencial.

REPORTAGEM: Segundo o site The Information, funcionários chegaram às instalações da empresa e encontraram falta de vagas de estacionamento, nenhuma mesa para sentar e um péssimo Wi-Fi.

O número de funcionários da Tesla dobrou desde 2019, diz o site, agora contando com mais de 99 mil pessoas. No início de junho, Musk disse ter um “mau pressentimento” sobre a economia atual dos EUA, e anunciou o congelamento de contratações e o corte de 10% da força de trabalho.

Supostamente, a empresa decidiu reestruturar certas áreas do escritório durante a pandemia e também não contava com uma equipe presencial maior.

Funcionários dizem que as condições dos escritórios estavam ruins ao ponto de serem instruídos por gerentes para trabalhar em casa. Aqueles que optassem ficar no escritório falaram ao site que o sinal Wi-fi era muito fraco para eles poderem trabalhar.

LUCRO: Apesar das dificuldades, a empresa anunciou em abril que teve lucro de U$3,3 bilhões (mais de R$15 bilhões) no primeiro trimestre de 2022. Isso representa um aumento de 81% ano a ano, em comparação com US$ 10,4 bilhões em receita no primeiro trimestre de 2021.

Texto Sofia Schuring
Edição Julianna Granjeia
Tesla
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.