Apple lança ferramenta para combater spywares

Ação é um contra-ataque à empresas como a NSO Group, desenvolvedora do Pegasus, usado para espionar ativistas, jornalistas e políticos

A Apple anunciou nesta quarta-feira (6) uma nova ferramenta para proteger usuários visados por spywares. A ação é um contra-ataque à empresas de tecnologia como a israelense NSO Group, desenvolvedora do Pegasus, usado para espionar ativistas, jornalistas e políticos.

LANÇAMENTO. O novo “Modo de Bloqueio” estará disponível para iPhones, iPads e macOS, e funcionará da seguinte forma:

  • Convites e chamadas do FaceTime por contatos desconhecidos serão bloqueadas e a maioria dos tipos de anexos de mensagens, além das imagens, também. A pré-visualização de links também estará bloqueada.
  • Perfis de configuração não poderão ser instalados, e o dispositivo não pode se inscrever no gerenciamento de dispositivos móveis (MDM, na sigla em inglês), enquanto o modo estiver ativo.
  • As conexões com outros dispositivos, como computadores ou outros acessórios, serão bloqueadas.

A empresa diz que a nova ferramenta é “extrema, e opcional” para proteger a privacidade e segurança de usuários contra o aumento crescente de ataques por spywares. Outras ferramentas de privacidade também serão adicionadas ao longo do tempo.

E MAIS: Além disso, a empresa disse que vai recompensar pesquisadores que encontrem brechas de segurança na nova ferramenta em até U$2 milhões (mais de R$10 milhões), por meio do programa Apple Security Bounty.

CASOS PASSADOS: Em julho de 2021, o CitizenLab, a Anistia Internacional e veículos de imprensa formaram um consórcio internacional para reportar o uso do spyware Pegasus contra centenas de jornalistas, ativistas e políticos. Já em dezembro, foi reportado que funcionários do Departamento de Estado dos EUA haviam sido espionados em suas contas iCloud.

O Pegasus tem potencial de analisar registros de chamadas, coletar mensagens, ativar e desligar microfone e câmera automaticamente, e outras funções.

Desde então, a Apple abriu um processo acusando a NSO Group de violar uma lei federal anti-hacking ao vender um software usado para espionar os usuários da Apple. Atualmente, o NSO Group está na lista negra do Departamento de Comércio dos EUA, enquanto a União Europeia tenta movimento semelhante.

Texto Sofia Schuring
Edição Alexandre Orrico

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca