Twitter contra-ataca Elon Musk

Twitter vai à Justiça nos Estados Unidos para obrigar Musk a cumprir sua palavra.

Na terça-feia (12.jul.2022), o Twitter foi à Justiça nos Estados Unidos para obrigar Elon Musk a fechar a compra da empresa.

O QUE HOUVE? Na ação, o Twitter detalha os termos e condições do acordo firmado com Musk em abril e reitera que não infringiu nenhuma cláusula que motive a desistência do bilionário sul-africano.

Os advogados do Twitter lembram que as alegações dadas por Musk não se sustentam: o volume de “bots” (contas spam) já havia sido informado à SEC (Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos) e o acordo de compra garantia ao Twitter o direito de demitir funcionários, inclusive da diretoria, sem precisar do aval de Musk.

Musk só poderia desistir ante um “efeito materialmente adverso”, que, segundo o Twitter, não ocorreu.

Os advogados do Twitter não mediram palavras no texto. Eles dizem que “Musk aparentemente acredita que ele é livre para mudar de ideia, detonar a empresa, bagunçar suas operações, destruir valor dos acionistas e sair impune.” Ai…

CONTEXTO. Em abril, Musk assinou um contrato para comprar o Twitter por cerca de US$ 44 bilhões, ou US$ 54,20 por ação. No início de julho, Musk anunciou ter desistido do negócio.

A desculpa dada pelo bilionário para desistir do acordo, de que o Twitter mente a respeito da quantidade de robôs/contas falsas na plataforma, é considerada por analistas e pelos advogados do Twitter como um fraco pretexto.

Qual seria a real motivação? De um lado, os papéis do Twitter despencaram desde então — nesta terça, fecharam a US$ 34,06. De outro, a própria fortuna de Musk, fortemente atrelada a papéis das empresas que comanda, em especial a Tesla, também deu um mergulho nos últimos meses e encolheu em cerca de 30%.

A brincadeira, aparentemente, ficou cara.

CONSEQUÊNCIAS. Caso o Twitter consiga obrigar Musk a cumprir o acordo, será uma vitória aos acionistas, mas uma saia justa à empresa.

Como disse Sarah Frier, em análise na Bloomberg, nesse cenário o Twitter acabaria nas mãos de alguém que a própria empresa enxerga como “um mentiroso que pensa estar acima da lei, que negociou de má-fé e destruiu valor dos acionistas de modo irreparável”.

A briga nos tribunais norte-americanos será longa.

Via Reuters, Bloomberg (ambos em inglês).

Post feito em parceria com o Manual do Usuário


Faça parte da conversa

Reações de apoiadores
carregando reações...

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca