Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

A pesquisa "Eleições e Influência", divulgada na terça-feira (26.jul.22) pela YouPix, consultoria de negócios para economia de influência e comunicação digital, revelou que 68,3% dos criadores de conteúdo e influencers entrevistados disseram ter recebido elogios e apoio da comunidade após publicações sobre questões políticas nas redes sociais.


É importante porque...

Como líderes de comunidade e formadores de opinião, influenciadores terão responsabilidade direta no processo democrático.

Ao contrário de 2018, hoje muitos influenciadores declaram publicamente o voto, como a cantora Anitta, que mostrou apoio a Lula.


O OUTRO LADO. Apesar da repercussão de posts políticos ser majoritariamente positiva, 50,8% dos criadores de conteúdo e influencers ouvidos afirmam ter medo de perder trabalhos por se posicionar.

O que vai de encontro ao desabafo da cantora Luísa Sonza, agenciada pela Mynd8.

Em junho, ela reclamou em um tweet sobre o cancelamento que marcas dão em “celebridades e influencers que se posicionam politicamente”.

O desabafo recebeu apoio de outros influenciadores que dizem sofrer o mesmo, como Deolane Bezerra – ambas apoiadoras de Lula.

OS NÚMEROS.  Essa percepção, porém, pode não necessariamente representar a realidade para todos os influencers, como indica o estudo.

Apenas 10,8% dos entrevistados declarou ter recebido advertência de marcas por se posicionar sobre questões políticas, de acordo com o levantamento, que também mostrou que:  

  • 41,5% dos criadores de conteúdo disseram não fazer conteúdos sobre questões políticas. E afirmaram que consideram pautas como democracia, sustentabilidade, diversidade, inclusão, algo que NÃO É política.

As marcas que participaram da pesquisa também se mostraram bastante categóricas.

  • 60% delas afirmaram que cancelariam contratos com criadores de conteúdo que tivessem um posicionamento político diferente da empresa.
  • E mais de 40% disseram que deixariam de contratar criadores que se posicionassem publicamente apoiando um partido ou candidato.

COMO FOI FEITA A PESQUISA? Por meio de formulário digital, com 341 pessoas, entre 7.jul e 18.jul.2022, considerando as respostas válidas.

A pesquisa contabilizou a resposta de 136 empresas e 205 criadores de conteúdo e influencers, todas anônimas.

OUTROS DADOS DA PESQUISA

  • 83,8% das empresas respondentes tem sede na região Sudeste, sendo 33,3% de empresas com até 150 funcionários e 40,4% de empresas com mais de 1.000 funcionários.
  • Entre os influenciadores, 45,1% tem entre 25 e 34 anos e 54,6% dessas pessoas atua neste mercado há menos de 3 anos.
  • Desses, 98,5%  utilizam o Instagram;
  • 62,4% usam o Tik Tok;
  • 45,9% publicam no YouTube;
  • 29,3%, no Facebook;
  • E 27,3%, no Twitter.
Reportagem Julianna Granjeia
Edição Samira Menezes

Eleições 2022InstagramTikTokYouTubeFacebookTwitter/X
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.