Posts políticos de influencers têm efeito positivo, diz pesquisa

Ao contrário da percepção, 68,3% dos criadores de conteúdo e influenciadores disseram receber elogios em posts sobre política.

A pesquisa "Eleições e Influência", divulgada na terça-feira (26.jul.22) pela YouPix, consultoria de negócios para economia de influência e comunicação digital, revelou que 68,3% dos criadores de conteúdo e influencers entrevistados disseram ter recebido elogios e apoio da comunidade após publicações sobre questões políticas nas redes sociais.


É importante porque...

Como líderes de comunidade e formadores de opinião, influenciadores terão responsabilidade direta no processo democrático.

Ao contrário de 2018, hoje muitos influenciadores declaram publicamente o voto, como a cantora Anitta, que mostrou apoio a Lula.


O OUTRO LADO. Apesar da repercussão de posts políticos ser majoritariamente positiva, 50,8% dos criadores de conteúdo e influencers ouvidos afirmam ter medo de perder trabalhos por se posicionar.

O que vai de encontro ao desabafo da cantora Luísa Sonza, agenciada pela Mynd8.

Em junho, ela reclamou em um tweet sobre o cancelamento que marcas dão em “celebridades e influencers que se posicionam politicamente”.

O desabafo recebeu apoio de outros influenciadores que dizem sofrer o mesmo, como Deolane Bezerra – ambas apoiadoras de Lula.

OS NÚMEROS.  Essa percepção, porém, pode não necessariamente representar a realidade para todos os influencers, como indica o estudo.

Apenas 10,8% dos entrevistados declarou ter recebido advertência de marcas por se posicionar sobre questões políticas, de acordo com o levantamento, que também mostrou que:  

  • 41,5% dos criadores de conteúdo disseram não fazer conteúdos sobre questões políticas. E afirmaram que consideram pautas como democracia, sustentabilidade, diversidade, inclusão, algo que NÃO É política.

As marcas que participaram da pesquisa também se mostraram bastante categóricas.

  • 60% delas afirmaram que cancelariam contratos com criadores de conteúdo que tivessem um posicionamento político diferente da empresa.
  • E mais de 40% disseram que deixariam de contratar criadores que se posicionassem publicamente apoiando um partido ou candidato.

COMO FOI FEITA A PESQUISA? Por meio de formulário digital, com 341 pessoas, entre 7.jul e 18.jul.2022, considerando as respostas válidas.

A pesquisa contabilizou a resposta de 136 empresas e 205 criadores de conteúdo e influencers, todas anônimas.

OUTROS DADOS DA PESQUISA

  • 83,8% das empresas respondentes tem sede na região Sudeste, sendo 33,3% de empresas com até 150 funcionários e 40,4% de empresas com mais de 1.000 funcionários.
  • Entre os influenciadores, 45,1% tem entre 25 e 34 anos e 54,6% dessas pessoas atua neste mercado há menos de 3 anos.
  • Desses, 98,5%  utilizam o Instagram;
  • 62,4% usam o Tik Tok;
  • 45,9% publicam no YouTube;
  • 29,3%, no Facebook;
  • E 27,3%, no Twitter.
Reportagem Julianna Granjeia
Edição Samira Menezes


Faça parte da conversa

Reações de apoiadores
carregando reações...

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca