Meta expande testes de criptografia após ceder conversas de menor que abortou às autoridades

Porta-voz da empresa garante que o timing é mera coincidência.

A Meta anunciou nesta quint-feira (11.ago.22) uma expansão nos testes de criptografia de ponta a ponta no Messenger. O timing do anúncio chamou a atenção.

O QUE HOUVE? O Messenger já permite conversas criptografadas de ponta a ponta, mas o recurso é opcional e precisa ser ativado.

No novo teste anunciado pela Meta, um grupo de usuários passará a ter conversas criptografadas de ponta a ponta por padrão.

O QUE MAIS? Além disso, a Meta também está testando um backup criptografado, chamado de “armazenamento seguro”, para permitir que, ao trocar de celular, por exemplo, o histórico de conversas seja migrado com segurança.

O anúncio oficial ainda cita alguns dos vários recursos presentes no Messenger que estão sendo migrados para o modelo com criptografia de ponta a ponta.

O TIMING. A expansão dos testes com criptografia de ponta a ponta chega dias após a Meta ceder às autoridades norte-americanas conversas (não criptografadas de ponta a ponta) no Messenger entre uma menor de 17 anos e sua mãe.

Elas foram processadas porque a menor abortou após a 20ª semana de gestação, o que é proibido no estado de Nebraska. As conversas do Messenger foram determinantes para o processo.

Em nota à Wired, um porta-voz da Meta garantiu que as duas notícias não têm relação:

“Isto [expansão dos testes] não é uma resposta a qualquer requerimento das autoridades. Tínhamos isso no cronograma há meses, mas o anúncio foi feito porque as equipes de produto do Messenger estao finalizando os testes que serão colocados em ambiente de produção. Esses testes começam [nesta quinta]. Queremos que as pessoas saibam dos testes a partir da gente, antes que elas vejam mudanças no aplicativo.”

Para especialistas, o caso de Nebraska reforça a necessidade de aplicativos de mensagens com criptografia de ponta a ponta.

O WhatsApp, da mesma empresa, funciona assim. Os outros aplicativos de mensagens da Meta, Messenger e Instagram, ainda não.

Em 2019, Mark Zuckerberg prometeu levar a criptografia de ponta a ponta aos dois aplicativos e tornar os três da Meta interoperáveis. Entraves técnicos e políticos têm dificultado o plano, porém.

Via Meta, Wired, Vice (todos em inglês).

Post feito em parceria com o Manual do Usuário


Faça parte da conversa

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca