Meta processa duas empresas brasileiras por engajamento falso

A plataforma também notificou mais de 40 empresas que oferecem serviços parecidos no Instagram e no Facebook.

Pela primeira vez, a Meta processou duas empresas no Brasil que acusa oferecer serviços de engajamento falso — vender curtidas, seguidores e visualizações artificiais no Instagram.

O QUE HOUVE? Em comunicado à imprensa, a Meta informou que levou à Justiça as empresas MGM Marketing Digital LTDA, a Igoo Networks Eireli Me e seus acionistas.

Elas operavam alguns serviços de engajamento falso, com nomes como “InstaBrasil”, “InstaCurtidas”, “SMM Revenda”, “Seguidoresgram”, “Seguidores Brasil”.

O QUE MAIS? Além disso, a Meta enviou notificações extrajudiciais para mais de 40 empresas que oferecem serviços similares no Instagram e no Facebook.

Segundo a empresa, engajamento falso viola os termos de uso do Instagram e do Facebook e a lei brasileira, “incluindo leis que protegem programas de computador e propriedade intelectual”.

O objetivo da Meta é banir permanentemente os réus das suas plataformas.

Via Meta.

Post feito em parceria com o Manual do Usuário


Faça parte da conversa

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca