Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

O TikTok anunciou nesta quarta-feira (17.ago.22) que está proibindo vídeos políticos pagos nos Estados Unidos e que irá remover qualquer conteúdo político patrocinado de sua plataforma.

A informação foi divulgada pela Bloomberg.

O QUE HOUVE? Uma reportagem do New York Times publicada no domingo (14.ago) mostrou que o TikTok está se tornando um problema tão grande quanto Facebook e Twitter em termos de desinformação política. Os Estados Unidos terão eleições de meio de mandato em novembro.

Segundo a reportagem, as mesmas características que fazem do TikTok um sucesso – alcance gigantesco, duração curta de vídeos e algoritmo poderoso –, também tornam mais difícil de conter alegações imprecisas, incluindo fraude eleitoral na votação.

PROVIDÊNCIAS. O comunicado da plataforma, assinado pelo chefe de segurança do TikTok nos EUA, Eric Han, diz que as publicações que violarem as regras do aplicativo terão o alcance reduzido até que o vídeo seja avaliado por profissionais do TikTok. Os usuários que tentarem compartilhar esses posts receberão um aviso informando que o conteúdo pode conter informações não verificadas.

Nos EUA, desinformação eleitoral bomba no TikTok
Reportagem do NYT mostra que conteúdo em áudio e vídeo dificulta contenção de desinformação em vários países.

Publicações com conteúdos relacionados às eleições terão a hashtag #elections2022 adicionada. A hashtag também deve ser incluída em posts de autoridades do governo, políticos ou partidos cujo conteúdo tenha relação com o pleito.

A empresa também informou que está trabalhando com agências de checagem - PolitiFact, Science Feedback e Lead Stories - para ajudar a identificar palavras-chave, áudios e outros sinais sobre eleições e desinformação que necessitem de moderação.

Reportagem Julianna Granjeia
Edição Jade Drummond
TikTokEleições 2022
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.