Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Pesquisadores, professores e ativistas da área de tecnologia divulgaram nesta quinta-feira (18.ago.22) um documento com propostas tecnocientíficas para a soberania digital.

"As tecnologias digitais não podem servir para ampliar as desigualdades e a dependência do país ao grande capital internacional. Nosso país não pode continuar tendo seu rumo tecnológico ditado pelas consultorias internacionais ligadas às Big Techs", diz a carta entregue ao candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que tem apoio da categoria.

PROPOSTAS. Entre as sugestões elaboradas pelos acadêmicos da área de tecnologia estão:

  • Criar uma infraestrutura federada para a hospedagem dos dados das universidades e centros de pesquisa brasileiros conforme a LGPD;
  • Incentivar e financiar a criação de datacenters que envolvam governos estaduais, municípios, universidades públicas e organizações não-governamentais que apliquem soluções IA (Inteligência Artificial) que estimulem e beneficiem a inteligência coletiva local e regional;
  • Incentivar e financiar a criação de arranjos tecnológicos locais para desenvolver soluções que visem superar a precarização do trabalho trazidas pelas Big Techs.

MAI$. Segundo o documento, a extração de dados do país gera perdas econômicas que poderiam ser evitadas.

Dados do relatório da consultoria RTI chamado "The Impact of Facebook’s U.S. Data Center Fleet 2017–2019" mostram que "para cada US$ 1 milhão em despesas de capital em data centers foram gerados US$ 954 mil adicionais em massa salarial (labor income) e US$ 1,4 milhão em PIB.

Além disso, para cada US$ 1 milhão em despesas operacionais em data centers, a economia norte-americana registrou US$ 1,3 milhão adicionais na massa salarial e US$ 2,2 milhões em PIB".

Reportagem Julianna Granjeia
Edição Alexandre Orrico

FacebookMetaGoogleEleições 2022
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.