Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Pelo menos nove jornalistas dos EUA que investigam a gestão do novo dono do Twitter, o bilionário Elon Musk, à frente da rede social tiveram seus perfis suspensos na plataforma nesta quinta-feira (15.dez).

Entre os veículos cujos jornalistas foram suspensos estavam o The New York Times, Washington Post, CNN, Intercept e Mashable.

MOTIVAÇÃO. A motivação por trás das suspensões está relacionada à determinação de Musk de banir contas que tuítam localização em tempo real de pessoas, e alguns dos jornalistas que cobriam o caso fizeram menções a uma dessas contas.

De madrugada, Musk entrou num Twitter Spaces repleto de jornalistas, com mais de 30 mil ouvintes, para explicar o que aconteceu, esclarecendo que os jornalistas haviam publicado links para sites que rastreiam localização de pessoas em tempo real.

"[Compartilhar] informação em tempo real da localização de alguém é inapropriado e todos aqui não gostariam se fosse feito com eles, e não vai haver distinções entre jornalistas e pessoas comuns [sic]. Vocês não são especiais por serem jornalistas", disse Musk no Spaces. "Você faz doxxing, você é suspenso, fim da história", disse Musk.

Um dos jornalistas suspensos, Drew Harrell, explicou que ele não publicou links para esse tipo de site, e sim estava reportando sobre a conta suspensa do perfil ElonJet no Twitter – que publicava atualizações sobre a localização do jatinho de Musk utilizando dados abertos, o que há tempos vinha incomodando Musk.

Musk iniciou uma enquete para que seus seguidores votassem sobre a suspensão dos perfis.

O QUE SE SABE. Jason Kint, presidente-executivo da Digital Content Next, uma associação que representa empresas de mídia digital, criou uma planilha para mapear os perfis suspensos.

Até as 23h18 desta quinta-feira, a tabela possuía os seguintes nomes de jornalistas:

No dia 13.dez.2022, o jornalista Drew Harwell havia escrito um email para Musk pedindo por comentários para uma reportagem sobre desinformação, ao qual o bilionário respondeu apenas "lol" (Laughing Out Loud, expressão que demonstra achar graça de algo).

Outros perfis suspensos, no entanto, não fazem ideia por que foram banidos. O jornalista independente Aaron Rupar escreveu em sua newsletter não ter ideia do que aconteceu, mas tem uma suspeita.

"Me ocorreu... que eu publiquei um tweet ontem comentando que o perfil ElonJet que foi suspenso do Twitter ainda estava ativo no Facebook, com um link para a página do Facebook. Talvez tenha sido isso, mas ainda não sei qual política eu possivelmente possa ter violado."

Como notou o jornalista Pedro Burgos, professor do Insper, em comum há o fato de que todos, aparentemente, eram críticos a Musk e investigavam a forma como ele conduz o Twitter. Musk assumiu o Twitter no fim de outubro após pagar US$44 bilhões pela empresa.


Texto atualizado às 7h16 de 16.dez.2022 para incluir mais detalhes

Twitter/X
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.