Google sofre derrota em projeto que tenta centralizar segmentação de anúncios na web

Proposta da API de tópicos, que substituiria cookies de terceiros na segmentação de anúncios, é rejeitada pela W3C.

O Google pretende aposentar os cookies de terceiros no Chrome em 2024, mas quer, antes disso, colocar algo parecido em seu lugar.

A última proposta, a API de tópicos, foi rejeitada pelo consórcio responsável por definir os padrões da web.

O QUE HOUVE? Em reunião recente do Grupo de Arquitetura Técnica (TAG, na sigla em inglês) do W3C, consórcio responsável pelos padrões web, a proposta dos tópicos foi rejeitada pelos membros.

“A API proposta parece manter o ‘status quo’ da vigilância inapropriada na web, e não queremos vê-loa prosseguir”, resumiu uma análise preliminar que auxiliou o debate dos membros do TAG.

Para eles, a API de tópicos poderia ser um progresso em relação ao uso de cookies para perfilamento e segmentação de anúncios, mas não muito.

Amy Guy, do TAG, disse que:

Não acho que [a API de tópicos] seja a respeito dos cookies de terceiros — é sobre vigilância na web e rastreamento. Se removermos os cookies de terceiros e substitui-los com algo que tem os mesmos problemas, então não é ok.

Sangwhan Moon, representante do Google no TAG, pediu mais feedback. Disse ainda que as preocupações levantadas pelo WebKit (motor usado pelo Safari, da Apple) e Mozilla (Firefox) são válidas. Os dois projetos já disseram que não adotarão a API de tópicos.

A transcrição da conversa pode ser lida neste link (em inglês).

RESPOSTA DO GOOGLE. Ao site Insider, um porta-voz do Google disse que a empresa pretende adotar a API de tópicos mesmo que ela não se torne um padrão web:

O Google está comprometido com [a API de] tópicos, porque ela melhora significativamente a privacidade em relação aos cookies de terceiros. Seguiremos adiante.

CONTEXTO. A afirmação de que a API de tópicos é um avanço não é unânime, como se nota.

O Google apresentou-a em substituição ao FLoC, outra proposta para substituir cookies que não ganhou tração.

A API de tópicos roda no navegador. Ela analisa o comportamento do usuário nas últimas três semanas e o encaixa em grupos temáticos — por exemplo, “fitness” ou “literatura” — que podem ser explorados por anunciantes para direcionar anúncios.

Críticos apontam que, embora os anunciantes jamais saibam quem está em qual grupo/tópico, ainda seria possível deduzir a identidade de um usuário com o cruzamento de outros dados.

Outro ponto delicado da proposta é que ela concentra ainda mais o mercado publicitário e os dados dos consumidores no Google.

Mesmo que não se torne um padrão web, o Google tem força para adotar a API de tópicos com sucesso: estima-se que o Chrome, seu navegador, seja usado por 65,5% dos usuários conectados à internet.

Via @w3ctag/Github, Insider (ambos em inglês).

Post feito em parceria com o Manual do Usuário

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca