Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Organizações e institutos de pesquisa na área de direitos digitais publicaram uma carta nesta segunda-feira (6.fev.2023) em que pedem que o Twitter garanta que a API continue acessível para acadêmicos, jornalistas e membros da sociedade civil.

A carta vem na semana seguinte ao anúncio de Elon Musk de que o Twitter pretende transformar o acesso à API em um recurso pago.

"Essa restrição dramática irá interromper projetos críticos de milhares de jornalistas, acadêmicos e atores da sociedade civil ao redor do mundo que estudam algumas das mais importantes questões que afetam nossas sociedades hoje", escreveram as 33 instituições signatárias da carta.

Musk vai matar um monte de bots do bem no Twitter
O fato de o Twitter ter uma API pública aberta e gratuita sempre foi uma das coisas que distinguiu essa rede social

No domingo (5.fev), Musk, em resposta ao perfil do gato Pépito, um robô que posta toda vez que Pépito entra e sai de casa, disse que haverá uma exceção à cobrança.

CONTEXTO. Segundo as organizações, são pesquisadores, ONGs e jornalistas que traduzem os dados brutos obtidos pela API do Twitter em perspectivas críticas que informam o público, políticos e a empresa em si. A decisão de Musk deve afetar principalmente organizações que contam com poucos recursos para desenvolver este importante trabalho.

A carta também pede que que políticos e formuladores de políticas "demonstrem liderança e exijam o acesso confiável a dados de propósito público" e que atuem para proteger essa infraestrutura fundamental.

Na sexta-feira (3.fev.2022), o secretário de Políticas Digitais da Secom, João Brant, disse que o governo iria se manifestar junto ao Twitter em busca de mais informações sobre o fim do acesso gratuito à API da empresa.

Veja os signatários da carta aqui:

  • Citizens and Technology Lab
  • Knight First Amendment Institute at Columbia University
  • University of Washington's Center for an Informed Public
  • NYU Cybersecurity for Democracy
  • Human Cooperation Lab at MIT
  • Social informatics Lab/TwitterTrails, Wellesley College
  • Dangerous Speech Project
  • Larhud - Laboratório em Rede de Humanidades Digitais - PPGCI/UFRJ
  • Woodhull Freedom Foundation
  • Media Monitoring Africa
  • Knowledge Media Institute
  • MINDS, Kozminski University
  • Aspiration
  • Texifter, LLC
  • Media and Democracy Data Cooperative
  • Institute for Strategic Dialogue (ISD)
  • ARTICLE 19
  • Center for Social Media and Politics
  • Computational Tools for Critical Humanities Research, Bowling Green State University
  • Defend Democracy
  • Center for Democracy & TechnologyCentre for Digital Policy, University College Dublin
  • Data & Society Research Institute
  • Initiative for Digital Public Infrastructure
  • Open MIC (Open Media and Information Companies Initiative)
  • National Conference on Citizenship
  • Algorithmic Transparency Institute
  • Algorithmic Fairness and Opacity Working Group at UC Berkeley
  • Social Media Research Foundation
  • Observatory on Social Media at Indiana University
  • The Association of Internet Researchers (AoIR)
  • Institute for Data, Democracy & Politics at George Washington University
  • Internet Studies, Curtin University

Leia a carta traduzida na íntegra aqui: 

Na semana passada, o time de Desenvolvimento do Twitter anunciou que a plataforma não permitirá mais o acesso à API do Twitter a partir desta quinta-feira, 9 de fevereiro. Essa restrição dramática irá interromper projetos críticos de milhares de jornalistas, acadêmicos e atores da sociedade civil ao redor do mundo que estudam algumas das mais importantes questões que afetam nossas sociedades hoje.

A API do Twitter permite que uma rede global de pesquisa de interesse público, incluindo respostas a crises de incêndios florestais e furacões, segurança nacional, saúde pública, fraude, polarização, análise econômica, segurança infantil, saúde mental, violência online, atividade inautêntica, incluindo spam e bots, e muito mais.

O novo CEO do Twitter, Elon Musk, prometeu tornar a plataforma mais transparente e reduzir a prevalência de spam e contas manipuladoras. Nós elogiamos e apoiamos estas prioridades. Aliás, a comunidade independente de pesquisa desenvolveu muitas das técnicas de ponta usadas para gerenciar bots. O acesso à API se provou um recurso crítico para este trabalho. As novas barreiras do Twitter para acesso a dados irá reduzir justamente a transparência que tanto a plataforma quanto a sociedade precisam desesperadamente.

Jornalistas, ONGs e pesquisadores acadêmicos traduzem dados brutos da API do Twitter em perspectivas críticas que informam o público, formuladores de política e a empresa em si. Esse trabalho acontece em diversos espaços ao redor do mundo, de grandes universidades e redações de notícia a pequenas organizações comunitárias. A repentina imposição de taxas pelo Twitter terá um impacto desproporcional sobre programas com poucos recursos.

Acesso a dados é um bloco fundamental da transparência e responsabilização.

Nós pedimos ao Twitter que garanta que APIs para estudar conteúdo público na plataforma siga facilmente acessível para jornalistas, acadêmicos e sociedade civil.

Pedimos aos formuladores de políticas que demonstrem liderança e exijam acesso confiável a dados de uso público para todos, a fim de proteger essa infraestrutura vital.

As ações do Twitter ameaçam apagar as luzes de pesquisas, inovação e conhecimento coletivo essenciais. É por isso que estamos nos unido para proteger os bens públicos que dependem de acesso a dados do Twitter.

Texto Laís Martins
Edição Julianna Granjeia



Twitter/X
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.