Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Apesar de não solicitar informações sobre orientação sexual ou identidade de gênero aos usuários, o TikTok monitora aqueles que assistem a conteúdo marcado como LGBTQ+ por moderadores, de acordo com o Wall Street Journal. O veículo afirmou ter ouvido o depoimento de um ex-funcionário anônimo da empresa.

COMO ASSIM? De acordo com o veículo, a coleta de informações pode ser visualizada por funcionários da empresa em um painel que lista quais usuários consomem conteúdo marcado como LGBTQ+.

Com base nesse conteúdo, a empresa inferia a orientação sexual dos usuários e os colocava em uma lista correspondente. Por exemplo, se um usuário consumisse conteúdo sobre bissexualidade, o TikTok o marcava como uma pessoa bissexual.

É comum que as redes sociais identifiquem e organizem o conteúdo em diferentes categorias, inclusive para oferecer publicidade direcionada aos usuários. No entanto, no caso da orientação sexual e da identidade de gênero, essas informações podem expor aspectos da vida pessoal dos usuários.

Segundo o veículo, a coleta dessas informações gerou preocupações para os funcionários que, entre 2020 e 2021, temeram que esses dados pudessem ser usados para chantagear usuários LGBTQ+.

OUTRO LADO. Em resposta ao Wall Street Journal, a assessoria do TikTok afirmou que esse painel foi deletado em 2022 e que os funcionários não têm mais acesso a essas informações. “Proteger a privacidade e a segurança das pessoas que usam o TikTok é uma das nossas principais prioridades”, disse a empresa.

Via Wall Street Journal

Texto Sofia Schurig
Edição Alexandre Orrico
TikTok
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.