Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Menos de um dia após apresentar uma petição que pedia que as redes sociais do ex-presidente Jair Bolsonaro repassassem uma lista completa de seguidores do político com nomes e dados de identificação, o MPF soltou uma nota de esclarecimento sobre o pedido.

Segundo Carlos Frederico Santos, Subprocurador-geral da República e autor da peça, o objetivo é dimensionar o impacto das publicações de Bolsonaro e seu alcance. "Jamais iria investigar milhões de pessoas, seria até impossível fazer isso”.

O procurador comentou inclusive que além dos admiradores ou aficcionados do ex-presidente, há pessoas que o seguem por curiosidade, informação, motivação profissional, acadêmica ou interesses diversos. "Só há um investigado neste caso: o ex-presidente Jair Messias Bolsonaro”, disse na nota.

A petição, porém, não foi corrigida nem editada.

MPF pede dados de seguidores de Bolsonaro em inquérito do 8.jan
PGR fez petição ao STF para incluir em investigação vídeo apagado por Jair Bolsonaro após apoiadores invadirem Praça dos Três poderes

RESUMO. O Ministério Público Federal, através da Procuradoria Geral da República, apresentou nesta segunda, 17.jul, uma petição para obter dados de identificação de seguidores de Jair Bolsonaro, além de solicitar que um vídeo publicado – e apagado – no Facebook pelo ex-presidente seja incluído no inquérito que investiga os atos anti-democráticos de 8.jan.2023.

Segundo o documento, o MPF pede que tal postagem seja integrada aos autos para se investigar quem incitou os ataques de 8.jan, quando milhares de apoiadores do candidato derrotado invadiram e depredaram diversos prédios públicos na capital federal.

Na ocasião Bolsonaro publicou, no mesmo dia, uma mentira que contestava o resultado eleitoral e dizia que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não teria sido eleito pelo povo. Apagou horas depois e disse à imprensa posteriormente que fez isso "sem querer".

via MPF

Reportagem/Texto Leonardo Coelho
Edição Alexandre Orrico

FacebookTwitter/XInstagramLinkedInTikTok
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.