Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Google e Meta devem, conjuntamente, algo em torno de US$11,9 bilhões a US$13,9 bilhões a publicações jornalísticas nos Estados Unidos, de acordo com um estudo publicado no fim de out.2023.

VALORES. Segundo os autores, o Google deve algo na ordem de US$10-12 bilhões por ano a veículos de notícia nos EUA, enquanto a Meta deve algo em torno de US$1,9 bilhão.

"Segundo a nossa análise, os pagamentos às publicações têm sido bem abaixo das normas aceitas da indústria, e há espaço considerável para melhora nesse sentido", disseram os autores.

Ajude o Núcleo a fazer investigações relevantes. Custa apenas R$10.

JANELA. A pesquisa, que envolveu os renomados acadêmicos Haaris Mateen (Universidade de Houston) e Anya Schiffrin (Universidade de Columbia), é a primeira a fazer estimativa dos valores devidos por essas empresas ao jornalismo.

Ela também abre uma rara oportunidade metodológica para estimar o valor gerado pelo jornalismo a grandes plataformas digitais em outros países, considerando que muitos contratos entre publishers e Big Tech são privados, o que torna quase impossível quantificar os volumes de audiência e os lucros apurados.

METODOLOGIA. O estudo é baseado em estimativas "conservadoras" da receita aferida pelas plataformas a partir da impressão de conteúdos de veículos dos EUA – independentemente se clicaram ou não no link.

"A decisão de clicar em um link para ver o artigo noticioso completo é tipicamente feita após o usuário já ter visto a manchete, e (muito frequentemente) um breve sumário ou uma pré-visualização do conteúdo de todo o artigo", argumentam os autores, acrescentando que anúncios são mostrados próximos aos artigos antes do click.

A pesquisa, então, combinou dados de receita de busca do Google e "snippets" de notícias no Facebook para calcular o tempo que usuários gastam no consumo dessas informações.

Os autores, então, se baseiam em modelos de receita que variam de 50-50 (50% para cara lado, considerado um marco histórico para esse tipo de negociação) até 30-70 (a favor das Big Tech, como sugerem outros estudos).

LIMITAÇÕES. A falta de dados fornecidos pelas partes envolvidas – empresas de jornalismo e as plataformas – obviamente limita quaisquer estimativas precisas.

"A fatal de microdados detalhados e publicamente disponíveis sobre comportamento de usuários do Google e do Facebook (Meta) provaram ser um dos principais fatores limitantes que afetam nossa análise", disseram os autores.

Por isso vale notar que são "estimativas conservadoras".

Acesse o estudo na íntegra aqui ou no arquivo abaixo

GoogleMetaAlphabetFacebookInstagramYouTube
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.